14 de junho de 2021 Atualizado 23:53

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura

Após 17 anos, Adriane Galisteu retorna à Record

À frente do “Power Couple Brasil”, a apresentadora se esforça para manter uma distância pessoal da competição protagonizada por casais famosos

Por Caroline Borges / TV Press

05 jun 2021 às 15:48

Adriane Galisteu é uma apaixonada por televisão. Há mais de 25 anos no vídeo, ela não curte apenas estar diante das câmeras, mas também se diverte bastante com seu lado de telespectadora. Por isso, à frente do “Power Couple Brasil”, da Record, a apresentadora se esforça para manter uma distância pessoal da competição protagonizada por casais famosos.

“É tão diferente assistir e estar lá. Minha maior dificuldade é não me apegar. Quando estou vendo em casa, eu já logo tenho os meus preferidos, os casais que tenho ranço. Mas, como apresentadora, tenho de me manter neutra até o final. A equipe tem me ajudado muito nessa tarefa. Eles que me ajudam a sossegar o facho. Não posso torcer”, alerta.

A disputa do “Power Couple” estreou apenas em maio de 2021. Galisteu, no entanto, já negociava sua participação na produção desde o ano passado. Porém, com a chegada da pandemia do novo coronavírus, o projeto foi adiado e as conversas esfriaram.

O retorno de Galisteu celebra a paz entre apresentadora e emissora, depois de ter se tornado uma “persona non grata” dentro da Record – Foto: Record / Divulgação

“Ficamos em um namoro nesse um ano e pouco e, agora, já estamos no casamento (risos). Quando a pandemia chegou, percebemos que seria inviável fazer um programa como o ‘Power Couple’. A equipe da Record decidiu concentrar esforços em uma nova temporada de ‘A Fazenda’. Chegou 2021 e muita água passou por baixo da ponte, mas eu nunca deixei de estar em contato com a Record e nem de pensar no programa. Fiquei feliz com o convite porque sou muito fã do formato”, valoriza Galisteu, que é casada com o estilista e empresário Alexandre Iódice.

“O Alexandre é todo tímido, quieto. Mas já falei para ele que vou expor no ‘reality’, vamos falar da gente também. Acho que ele não toparia participar de um programa assim. Ele ia reclamar, não ia querer fazer as provas”, completa.

Apesar do adiamento em um ano, o “Power Couple” não conseguiu fugir da pandemia do novo coronavírus, que ainda persiste pelo país. Por isso, o “reality show” segue todos os protocolos sanitários. Os participantes fizeram um confinamento antes da estreia e também foram testados. Nos bastidores, os estúdios são constantemente desinfectados, a equipe utiliza roupas especiais e máscaras e o distanciamento social é respeitado.

“O cuidado é extremo em todos os sentidos. Todo mundo precisa passar por uma bolha de desinfecção. As provas levam muito mais tempo porque, entre um casal e outro, todo o ambiente é higienizado. É uma produção gigantesca para botar um formato desse tamanho no ar”, afirma.

Nascida em São Paulo, Galisteu começou sua carreira como modelo, mas a televisão acabou se tornando seu caminho mais sólido ao longo dos anos. Com alguns trabalhos na dramaturgia, ela se fixou no vídeo como apresentadora, comandando produções em emissoras, como MTV, SBT e Band. Entre 2000 e 2004, Galisteu apresentou o programa “É Show”, na Record.

A quinta temporada do “Power Couple” marca sua volta à emissora após 17 anos. “Sabe que até hoje as pessoas comentam do ‘É Show’ comigo? Fui muito feliz nos quatro anos em que estive na emissora. Fiquei feliz de retornar e encontrar tanta gente que já trabalhou comigo. Parece que eu nunca saí. Sei andar pela emissora, conheço todo mundo (risos). O bom filho à casa torna, não é?”, vibra.

Frio na barriga

Os mais de 25 anos na televisão não amenizam a ansiedade de Adriane Galisteu diante de um novo projeto. Pela primeira vez comandando um “reality show”, a apresentadora lembrou de conselhos que recebeu em outros momentos da carreira, quando estava em cartaz com uma peça ao lado de Bibi Ferreira. “Ela é a minha grande diva e inspiração.

Na estreia, ela disse que estava nervosa e que, se um dia perdesse as borboletas do estômago, iria mudar de profissão. Me sinto exatamente assim com o ‘Power Couple’. As borboletas estão batendo asas dentro de mim. Amo o que eu faço e estou feliz de estrear em um novo formato, voltar ao vivo”, celebra.

À frente do “Power Couple”, Galisteu também começa a conquistar um espaço dominado por homens. Mesmo em 2021 e com diversos avanços, ainda não é comum ver mulheres no comando de algumas competições na tevê. Atualmente, ela é a única mulher no posto de apresentadora de um “reality show”. “Fico feliz de estar representando esse momento de mudança. Por que não podemos ter mulheres falando de ‘realities’? Estamos cada vez mais conquistando espaço. No esporte, por exemplo, é cada vez mais comum ver mulheres narrando”, valoriza.

Publicidade