Águia de Ouro ganha pela primeira vez o Carnaval de São Paulo

Para falar sobre "o poder do saber" em seu desfile, a Águia de Ouro abordou benefícios e problemas do conhecimento em 26 alas


A Águia de Ouro conquistou nesta terça-feira (25) seu primeiro título do Carnaval paulistano, com um dos enredos mais politizados dos dois dias de desfile no Anhembi. Para falar sobre “o poder do saber”, a Águia de Ouro abordou benefícios e problemas do conhecimento em 26 alas.

Foto: Alice Vergueiro / Estadão Conteúdo
Águia de Ouro conquistou seu primeiro título do Carnaval de São Paulo

Embora abordasse o tema da tecnologia, a escola trouxe algumas alegorias tradicionais, mas muito alegres. A escola da Pompeia estava entre as primeiras desde o início da apuração, mas só assumiu a liderança na penúltima categoria.

Foto: José Cordeiro / SP Turismo
Desfile da Águia de Ouro

Logo no começo, quatro dinossauros mecânicos eram operados manualmente. Também houve carros mais modernos e com telões, em menor número. Destaque para o retrato da bomba de Hiroshima (com cogumelo atômico feito de lã de aço). Em outro carro, a velha guarda e as crianças da Águia frequentavam uma escola. Nele, foi escrita uma frase de Paulo Freire: “Não se pode falar de educação sem amor”.

Receba as notícias do LIBERAL pelo WhatsApp. Envie uma mensagem para ser adicionado na lista de transmissão!

A história da campeã da Pompeia começa com integrantes do Faísca de Ouro, que até então pulavam o carnaval na cidade de Tietê no interior de São Paulo desfilando por blocos carnavalescos da região, começaram a se organizar para dar origem à uma escola de Samba em São Paulo, eram eles: Gilson Carriuolo Antonio, Valdemar (Maíco) e José Luiz (Bolão). Assim surgia em 1976 o G.R.E.S. Águia de Ouro.

Foto: José Cordeiro / SP Turismo
Desfile da Águia de Ouro

O desfile foi na maior parte do tempo liderado pela Acadêmicos do Tatuapé, que venceu a apuração em 2017 e 2018, seguida pela Mancha Verde (campeã de 2019). Tudo mudou no quesito Alegoria. O julgador Marco Antônio Cardoso, de Alegoria, teve as notas anuladas porque ele foi flagrado sambando durante o desfile da Tatuapé. Dessa forma, esse quesito teve apenas três avaliadores, sem descarte.

A grande decepção, porém, foi a Gaviões da Fiel, que trouxe o carnavalesco Paulo Barros para São Paulo. Após uma morna recepção na avenida, o desfile não foi bem avaliado pelos julgadores e a agremiação chegou a ficar a ponto de ser rebaixada até o penúltimo quesito.

Foto: José Cordeiro / SP Turismo
Desfile da Águia de Ouro

Confira abaixo o samba da campeã, com “O poder do saber: Se saber é poder, quem sabe faz a hora, não espera acontecer”:

Águia em suas asas vou voar

E no caminho da sabedoria

Páginas da história desvendar!

Sou eu… No elo perdido um desbravador!

O tempo é o meu senhor

Em busca da evolução…

Criar e superar limites da imaginação

A mente dominar

Jamais deixar de Acreditar!

Brincar de Deus…Recriar a vida

Desafiar, Surpreender!

Na explosão a dor, uma lição ficou

Sou aprendiz do criador!

Em cada traço que rabisco no papel

Vou desenhando o meu destino

No horizonte vejo um novo alvorecer

Ao mestre meu respeito e carinho

É nova era, o futuro começou

É tempo de paz, resgatar o valor!

Águia…Razão do meu viver

Berço que Deus abençoou

Nada se compara a esse amor

Meu Coração é Comunidade

Faz o sonho acontecer!

Pompéia guerreira, chegou sua hora

Seu manto reluz o poder do saber É preciso saber viver.

 

Além da Capa, o podcast do LIBERAL

A mobilização em Americana e Santa Bárbara em torno do Carnaval, a festa mais popular do País, é o assunto dessa edição do podcast “Além da Capa”. Ouça:

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora