02 de março de 2021 Atualizado 00:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cultura

‘Aconteceu Naquela Peça’, uma viagem às memórias de artistas do teatro infantil

Por Agência Estado

19 fev 2021 às 07:40 • Última atualização 19 fev 2021 às 13:22

Dramaturgo premiado, com textos encenados pelo Brasil, o jornalista Dib Carneiro Neto dedicou grande parte da sua trajetória a acompanhar e incentivar o teatro infantil. Tornou-se, assim, um nome de destaque em uma área que atrai ainda pouca atenção. Atento ao que está sendo pensado e produzido para as crianças, tem constantemente algum novo projeto. E, para a alegria de profissionais e público, a partir desta sexta-feira, 19, ele estreia a websérie Aconteceu Naquela Peça, que estará disponível no canal do YouTube e nas páginas do Facebook e Instagram do portal Pecinha É a Vovozinha!, com um episódio novo às terças e sextas, até 13 de abril.

Em um total de oito episódios curtos, o crítico acompanha o vídeo de seus convidados, que revelam fatos e casos curiosos, divertidos e emocionantes, relacionados ao fazer teatral para crianças. Entre as memórias relatadas, não falta a reação do exigente público infantil em cada apresentação. Para quem já encarou uma sessão de alguma peça com sala repleta de crianças, sabe muito bem como os pequenos reagem, mesmo antes do início do espetáculo. Barulho é o que não falta. “A espontaneidade das crianças na plateia acaba virando uma atração a mais para quem frequenta teatro infantil”, conta Dib Carneiro Neto.

Segundo o crítico e apresentador do programa, artistas de São Paulo, Rio de Janeiro, Belo Horizonte, Campinas, São Bernardo do Campo e São José do Rio Preto (esta última, sua terra natal), serão os primeiros a dar seus depoimentos. “A adesão foi imediata”, conta Dib, feliz por ter recebido a resposta positiva de participação no projeto. “Nesses meses todos de isolamento social, os artistas se voltaram muito para o passado, suas trajetórias, refletindo sobre o até aqui. Então, a ideia de fazê-los lembrar de algo emocionante e divertido, ocorrido numa peça, caiu como uma luva para eles neste período de introspecção e reflexão”, conta o animado dramaturgo, que aproveita também para comemorar seus 60 anos de vida no dia 21 de fevereiro.

No primeiro episódio, que abre o Aconteceu Naquela Peça, o diretor e encenador Rodrigo Audi recorda curiosidades do espetáculo Dom Quixote, de 2019, encenado pela Cia. Um de Teatro, de São Paulo. Ele revela, por exemplo, como uma cena mexeu positivamente com um garoto da plateia em uma sessão especial para ONGs. Antes de cada uma das atrações, Dib apresenta o convidado, dando alguns detalhes sobre a trajetória do artista e exibindo trecho do espetáculo para que o público saiba exatamente do que estão falando. “No final da apresentação, um desses jovens, que também usa muleta, estava feliz da vida e disse que, a partir daquele momento, ela (a muleta) também se tornaria um cavalo que o levaria para onde ele quisesse”, conta Audi, em seu depoimento.

Criador do portal de notícias sobre teatro infantil Pecinha É a Vovozinha!, Dib Carneiro também tem muitas histórias para contar, afinal, já são 30 anos de atuação (completados no ano passado) como crítico de teatro para crianças e jovens. Sempre demonstrando o amor e o respeito que tem por essa nobre arte de levar histórias e fazer sonhar, ele diz que guarda lembranças lindas, “a perder de vista”.

Ele gosta de dizer que é, até hoje, um tipo de crítico que se emociona com as crianças nas plateias. “Observo muito não só o que ocorre no palco, claro, mas também o que se passa entre pais e filhos nas poltronas, reações sempre afetuosas e muito inesperadas”, diz o observador, que confessa sempre se emocionar ao se deparar com uma criança feliz com o que está vendo. “Meus olhos sempre se enchem de lágrimas ao ver uma criança gargalhar com um tombo típico de palhaço, por exemplo.” E reforça a importância, para ele, de manter dentro de si essa empolgação pueril e esse olhar encantado. “É como se eu estivesse frequentando o teatro pela primeira vez. Sou desse tipo.”

Com o retorno bem-sucedido do meio artístico para participar do programa, o crítico já pensa em uma próxima temporada. Como também é escritor, ele tem em mente colocar essa experiência em um livro ou em um capítulo de uma obra sobre a história do teatro para crianças no Brasil. “São mesmo histórias que merecem ser eternizadas da forma tradicional, a forma impressa, na qual ainda acredito muito, apesar de ter aprendido a lidar um pouco com o audiovisual nesta websérie”, diz.
As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Publicidade