21 de outubro de 2021 Atualizado 18:41

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Virando a Chave

Os seis verbos poderosos do vendedor vencedor

O poder de um verbo é maior do que você possa imaginar, pois as palavras criam a nossa realidade

Por Ivan Maia

28 jun 2021 às 11:07

Você sabe quais são os 6 verbos mais poderosos do mundo? O poder de um verbo é maior do que você possa imaginar, pois as palavras criam a nossa realidade. Vamos falar sobre os 6 verbos dourados do vendedor vencedor?

O primeiro verbo é escutar. Ouça o que o cliente tem para lhe dizer, não seja persistente e desagradável. O verbo seguinte é reestruturar. O cliente fez a objeção, então use a paráfrase. Ou seja, explane através de uma pergunta dita pelo cliente com as exatas palavras dele. Por exemplo: “se eu entendi bem, se não fosse o fato de o senhor sair de férias, então fecharia a compra comigo agora?”

O próximo verbo é convergir. É o mesmo que compreender, criar um elo com o que foi dito pelo cliente. Delimitar é o quarto verbo. Pergunte ao cliente se há mais algum motivo que impede a compra. É importante delimitar e compreender os limites pelos quais ele não poderá realizar a compra naquele momento.

O quinto verbo é transmutar. Traga argumentos reais, exemplos de clientes ou situações que se encaixem na conversa. Mostre um cenário com dados específicos, num contexto que traga soluções a ele.

Agora é a hora de fechar e efetuar a venda com sucesso. Isso ocorrerá em 100% das vendas? Você conhece alguma coisa que é 100% no mundo? Não, mas pode acontecer em 90% dos casos e isso já equivale a você estar 300% melhor que os demais. O que digo aqui é algo que funciona. Se o cliente não fechar a compra na hora, as chances dele voltar são muito maiores.

A lei mais poderosa do mundo é a lei da transformação. Palavras criam pensamentos e sentimentos geram comportamentos, que trazem resultados. As perguntas que você faz, determinam as respostas que virão. Portanto, elabore perguntas inteligentes. Existem várias formas de conduzi-las para uma finalidade específica, por exemplo, perguntas de abertura, de meio, de concordância, de fechamento, negativas, de aproximação ou de afastamento..

Busque informações, conhecimento e lembre-se de uma frase: Mediocridade não é destino, é escolha! O homem que raciocina é livre, porque a inteligência anula o destino.

James Allen dizia: “Os homens imaginam que o pensamento pode ser mantido em segredo, mas não pode mais rapidamente se cristalizar em hábito, e o hábito solidifica-se em circunstâncias”. Lembre-se também: “Aqueles que não explicam o porquê não fazem; terão de dar lugar para aqueles que fazem”. Por isso, de qual lado você está? A escolha é sua!

Ivan Maia

Ivan Maia é treinador emocional, estrategista empresarial, NLP Practiotiiner, palestrante, conferencista e escritor de livros. Ele tem mais de 3 milhões de alunos treinados em mais de 25 países.