24 de fevereiro de 2024 Atualizado 20:17

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Saúde em Pauta

Vacinação e gestação: há riscos?

Se o objetivo é uma gravidez saudável, uma das melhores maneiras de alcançá-lo é se vacinando

Por Paulo Renato Monteiro da Silva

14 de maio de 2023, às 12h01

Muitas coisas são comentadas sobre vacinas, em especial contra a Covid-19. Esses dias me interrogaram sobre o risco para as mulheres gravidas. E, baseado nas informações disponíveis até o momento, podemos afirmar que a vacina contra a Covid-19 é segura para mamãe e bebê.

O desenvolvimento das vacinas envolve pesquisa, muita pesquisa, e no caso do coronavírus, foi assim também. Mas como a vacina ficou pronta tão rapidamente? A ciência correu, e correu muito, para nos entregar essa vacina em tempo recorde, tendo como alicerce os conhecimentos já disponíveis, inclusive aquele conhecido RNA mensageiro – aliás, esta técnica já existia há décadas.

Após uma pesquisa da viabilidade da vacina, os cientistas passam para a fase pré-clínica, onde testes são feitos em laboratório, e, a seguir, em animais, demonstrando que seja improvável que a vacina prejudique alguém. Este é um processo bastante rigoroso e que é acompanhado de perto pelos órgãos de saúde.

Depois dessa etapa, vêm os ensaios clínicos, que são aqueles realizados em humanos, tendo três fases:

Fase 1: começa com um pequeno grupo de pessoas, geralmente menos de 100 adultos e que estejam em plena saúde;

Fase 2: cerca de 100 a 300 indivíduos que têm a doença ou a condição para a qual a vacina está sendo estudada;

Fase 3: feito com 5 a 10 mil pessoas, em geral, com a doença em questão e geralmente sendo comparados a outros tratamentos existentes e recomendados para o mesmo problema.

Com o investimento gigantesco que ocorreu em todo o mundo, essas fases puderam ocorrer simultaneamente resultando em maior agilidade de todo o processo. E, depois que a vacina chega ao público ainda persiste uma quarta etapa, que se estende por muito tempo. É a fase de vigiar o uso das vacinas, para avaliar efeitos colaterais previamente desconhecidos, assim como os fatores de risco relacionados.

Quanto às grávidas, elas nunca são incluídas em testes de novos medicamentos ou novas vacinas. Os testes para avaliar o impacto sobre a gestação e o bebê são realizados em animais, sendo essa uma forma comprovada de garantir a segurança das vacinas, e os dados que foram colhidos não mostraram nenhum impacto sobre os animais que levasse os pesquisadores a suspeitar que haveria problemas com humanos.

Essa vigilância contínua tem mostrado cada vez mais a importância da vacinação, pois se observa uma redução dos riscos para as mamães, além de que os bebês das gestantes vacinadas já nascem com anticorpos que recebem através do cordão umbilical e que podem ajudar a protegê-los do Covid-19.

Portanto, se o objetivo é uma gravidez saudável, uma das melhores maneiras de alcançá-lo é se vacinando. E podemos ter certeza de que todas as vacinas, e não só a da Covid-19, foram e continuam sendo monitoradas. E bem de perto.

Paulo Renato Monteiro da Silva

O médico Paulo Renato Monteiro da Silva, especialista em alergologia e imunologia, fala sobre temas da saúde em alta e sobre como manter hábitos saudáveis