08 de julho de 2020 Atualizado 22:08

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Cotidiano & Existência

Súplicas

Imagino que nos próximos dias 24 e 29 São João e São Pedro estarão atolados de pedidos de seus devotos

Por Gisela Breno

23 jun 2020 às 08:00 • Última atualização 23 jun 2020 às 08:47

Imagino que nos próximos dias 24 e 29 São João e São Pedro estarão atolados de pedidos de seus devotos. Meus prediletos são Francisco de Assis e João Bosco, celebrados em 4 de outubro e 31 de janeiro respectivamente.

Não posso esperar tanto tempo para lhes pedir que intercedam a Deus por nós pois o mundo se tornou um hospital imenso; doenças e pacientes multiplicam-se feito geração espontânea bem como a falta de humanidade entre nós.

Minhas súplicas são urgentes e temendo não ser atendida nesses dias, as faço, de joelhos e alma, imediatamente:

Sabem aquelas mulheres que possuem dinheiro e coragem para gastar 28 mil reais na Coco Chanel, 9 mil na Christian Dior e as que mesmo ganhando pouco se esbaldam em consumir? Por caridade as direcionem para lojinhas onde possam comprar mantas para aquecer, pelo menos o corpo de brasileiros e brasileiras que dormem na rua em noites geladas que estão por vir e/ou alimentos pra seus organismos esquálidos, desnutridos.

Com homens que gastam fortunas com supérfluos e sequer pensam nos desvalidos, façam o mesmo. Que iluminados por vocês possamos compreender e vivenciar que dividir é multiplicar a fraternidade.

Livrem-nos do ódio e da intolerância que têm desfeito amizades, provocado brigas e até mortes por conta de opiniões divergentes. Faça-nos entender que a diversidade eleva a compreensão do mundo e das pessoas.

Por falar em pessoas eu lhes imploro: recolham as lágrimas que vertem dos olhos dos puros e as transforme em chuva mansa capaz de irrigar os corações ressecados de tanto desamor. Meus santos queridos por que essas criaturas não entenderam ainda que todos viemos fazer uma travessia no Universo com os mesmos direitos e deveres? Que viemos do pó das estrelas e ao pó retornaremos?

Em tempos de ensino remoto, soprem nos ouvidos dos alunos que estão confortavelmente em suas casas assistindo e participando das aulas, que eles são exceções. Há um número enorme de crianças, adolescentes, jovens por esse país afora que, além de não terem acesso à Internet, só conhecem smartphones pelas propagandas.

Mas principalmente, meus santinhos, acendam em nossas almas a fogueira que alimentará as chamas do amor, da solidariedade, da compaixão latentes desde sempre em cada um de nós.

Gisela Breno

Professora, Gisela Breno é graduada em Biologia na Unicamp (Universidade Estadual de Campinas) e fez mestrado em Educação no Unisal (Centro Universitário Salesiano de São Paulo). A professora lecionou por pelo menos 30 anos.