22 de outubro de 2020 Atualizado 22:23

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Blog da Eclética - por Jucimara Lima

Sem Cerimônias com: Michele Trevisan

Por Jucimara Lima

29 set 2020 às 12:17

Michele Trevisan é uma das principais personal organizers do Brasil - Foto: Divulgação

Amanhã, a personal organizer Michele Trevisan é a convidada especial do Ciesp Americana, para o programa Viravolta, criado em abril, para retratar assuntos diversos durante a pandemia, já que até o momento não é recomendado eventos presenciais.
A iniciativa, dessa vez, será em comemoração ao Dia da Secretária. Jornalista por formação e personal organizer por missão, ela falará sobre “Como mudar de vida com técnicas simples de organização”. Aos 28 anos, ela é a criado do Método Detox do Lar, que já atraiu mais de 225 mil seguidores para seu Instagram e arrebatou mais de 5 mil alunas em seu curso on-line de organização.
Formada em Jornalismo e pós – graduada em Comunicação e Produtividade, ela é especialista em organização residencial e corporativa. Amanhã, atendendo ao pedido do Ciesp, terei a honra de mediar essa apresentação que promete ser bem bacana, porém, adiantei o bate-papo com a Michele, exclusivamente para a Eclética. Confira!

Em que momento você decidiu mudar de vida e por que sentiu essa necessidade?
Eu fiz a transição de jornalista para personal organizer após uma demissão que me fez repensar minha carreira e meu propósito de vida. Como jornalista eu contei muitas histórias lindas em incontáveis matérias, mas algo maior sempre me moveu. Eu queria mesmo era participar efetivamente da vida das pessoas de uma maneira que eu pudesse transformá-las.


Como a organização entrou em sua vida?
Quando conheci Ricardo, meu marido/virginiano/organizadíssimo, há 10 anos. Foi ele que me mostrou o quanto uma vida sem excessos, com cada coisa no seu lugar e o mínimo de critério faz toda diferença para a nossa saúde mental. Eu vivia em um completo caos desde a infância deixando tudo espalhado, perdendo hora para tudo e abrindo a porta do armário e tudo despencando na minha cabeça. Comecei a observar os hábitos do Ricardo e logo compramos um apartamento de 45 metros quadrados. Ali minha ficha caiu. Entrava eu ou minhas tralhas em um lar tão pequeno. Cheguei em casa decidida e doei mais de 150 peças de roupas para minha cunhada que tem um brechó. Foi libertador
.


Onde a sua “organização” já te levou profissionalmente?
Em lugares que nunca imaginei estar. Me tornei umas das principais personal organizers do Brasil em apenas um ano de atuação. Palestrei na maior feira de artigos para a casa da América Latina. Ministrei formação profissional para brasileiras que moram no Exterior. São mais de 5 mil alunas no meu curso on-line. E mais do que isso, tenho a honra e a responsabilidade de criar conteúdo sobre organização para mais de 3 milhões de pessoas semanalmente na minha conta do Instagram.


Você é extremamente organizada em todas as áreas ou tem alguma que você ainda não consegue ser?
Extremamente organizada não sou em nenhuma área. Quando focava demais em um lado sempre faltava do outro. Me considero organizada com tudo de maneira equilibrada. Sempre teremos dias corridos com louça por lavar, com sapato para recolher no meio da sala no dia seguinte. O importante é encararmos tudo com leveza e muita responsabilidade, sabendo que se não fiz hoje, amanhã preciso fazer para não acumular.


Organização é um vício? 
Sem dúvidas. Viver em um ambiente organizado faz tão bem para a mente e para o nosso coração que é só experimentar essa sensação uma única vez para nunca mais querer voltar para o caos.


A desorganização, de fato, pode “bagunçar” todas as áreas da vida?
Eu sempre digo que, na grande maioria das vezes, a desordem interna afeta diretamente a organização física do nosso lar, a nossa agenda de compromissos, a nossa produtividade no trabalho. É preciso olhar com muita clareza para o nível que a bagunça está na sua vida e observar que em muitos casos, podemos ficar doentes dentro do lar que vivemos. Não é normal não ter mesa para comer com a família porque está cheia de tralhas. Não é normal ter que tirar um monte de roupas de cima da cama para dormir e no dia seguinte aquela pilha volta para cama mais uma vez. Não podemos deixar que a bagunça vire paisagem aos nossos olhos.

É possível uma pessoa que tenha passado uma vida inteira desorganizada, através de técnicas, realmente mudar seu modo de viver?
Totalmente possível. Eu vejo diariamente exemplos fantásticos vindo das minhas alunas. Tenho uma aluna, a Camila, que vivia um completo caos por acumular tudo o que você possa imaginar. A maior conquista dela, depois de ter aprendido o caminho certo para isso, foi “destralhar” o berço da filhinha. A Clara dormiu pela primeira vez em seu berço com 2 anos e 4 meses.


Quais dicas você dá em relação a isso?
É importante entender que o processo de organização é gradativo. Você não acorda inspirada em uma manhã e diz: ´pronto, a partir de hoje serei organizada’. Também não é colocando a casa abaixo em um único dia que você vai ser tornar organizado. Desses erros vem o efeito rebote, por isso é preciso respeitar o tempo de adaptação aos novos hábitos. Uma vez enraizados hábitos minimamente organizados tudo flui com leveza.


Quais hábitos são mais prejudiciais quando o assunto é organização?
Acumular mais do que cabe no seu lar, não voltar o que usa para o lugar certo e deixar para depois.


Qual o primeiro passo para se tornar organizado?
Se livrar de tudo o que acumula, de tudo o que ocupa espaço no seu lar e na sua vida e você não usa tem tempo. Não se organiza aquilo que não faz sentido guardar. Não se organiza tralhas.


Quais benefícios a organização pode trazer para o indivíduo?
Paz mental e praticidade. A sensação é de nos livramos de um peso enorme que carregávamos nas costas por conta da bagunça.

Jucimara Lima

Blog da colunista social do LIBERAL, Jucimara Lima, com notícias e informações sobre Americana e região!