25 de setembro de 2020 Atualizado 22:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Blog da Eclética - por Jucimara Lima

Sem Cerimônias com: Fernanda dos Santos Pedroso

Por Jucimara Lima

26 ago 2020 às 19:18

A bela modelo americanense, Fernanda dos Santos Pedroso é nossa entrevistada do Sem Cerimônias e estará no Música e Moda de domingo

Ele mede 1,75m, é americanense e apesar de ter apenas 19 anos, vive praticamente do outro lado do mundo. Fernanda dos Santos Pedroso é modelo internacional, com vasta experiência na Ásia. Dona de uma beleza diferenciada, ela começou muito cedo. Aos 6 anos, participou de um concurso de beleza no Rio Branco e ficou em terceiro lugar. Aos 8 anos, já era Miss Americana e, aos 9, encantava o Estado, vencendo o Miss São Paulo. Com uma carreira promissora pela frente, muito jovem ela já demonstrou personalidade, ao interromper a trajetória, por não gostar de competir em concursos.
A vida foi passando e, aos 14 anos, estava na frente da escola com algumas amigas, quando foi convidada para fazer um teste para uma agência de modelo que estava fazendo seletiva na cidade. De lá para cá, ela foi acumulando trabalhos, até que um deles a levou para a China, onde tem residência, atualmente. No final de 2019, veio passar uma temporada no Brasil e quando ia retornar, estourou a pandemia, fazendo-a adiar sua ida.
Gentilmente, Fernanda esteve nos estúdios da FM Gold, 94.7, para um descontraído bate-papo sobre vida e carreira, para o programa Música e Moda, que terá sua última edição, no próximo domingo, a partir das 10h. Hoje, adiantamos um pouco da conversa que tivemos com ela. Confira!

Qual foi seu primeiro grande desafio?
Foi sair de casa aos 16 anos, para um país do outro lado do mundo, sozinha, sem conhecer ninguém, nem mesmo a língua do país.

Quais trabalhos mais bacanas você já fez?
Vários trabalhos, mas tem um que amei fazer que foi um comercial de carro, gravado em Shanghai, na China.

Como é o mercado internacional para brasileiras?
É bastante sofrido, para a grande maioria, pois nossa cultura é muito diferente. Além disso, para a maioria dos países da Ásia, nosso biotipo não ajuda muito. Para eles precisa ser muito magra e nós temos como características quadril e perna grossa. Por isso, sofremos um pouco em relação a trabalho. Contudo, é possível encontrar muita brasileira bem e atuando na carreira internacional.

Como está sua vida durante a pandemia?
Parada! Aguardando abrir a fronteira para eu embarcar o mais rápido possível. Estou procurando fazer cursos e me cuidar mais, para voltar bem.

Quais os projetos atuais?
No momento, voltar a trabalhar porque eu amo o que faço! Quero realizar todos os meus sonhos…

Relacionado à profissão, qual é o seu maior sonho?
Pegar um trabalho grande e ser reconhecida tanto aqui no Brasil, quanto internacionalmente.

Quais são as medidas ideais para uma modelo?
90 cm de quadril, são as medidas que mais pegam. E a altura, acima do 1,73m para conseguir mais trabalhos.

Você acha que as redes sociais abriram mais espaço para as meninas trabalharem com moda, independente do biotipo?
Aqui, no Brasil, sim! Mas internacionalmente, acredito que não. Continuam com os mesmos padrões. Eles até aceitam alguns biotipos um pouco diferentes, porém, não fogem muito do exigido. Eles aceitam pele e biotipo de rosto um pouco mais exótico, mas não abrem mão das medidas.

Atualmente, que tipo de beleza é valorizada no mercado?
Depende da região. Alguns países têm preferência por tons de pele, outros apenas por medidas, outros pela altura e assim por diante.

Qual é sua rotina de beleza?
Dieta sempre! De segunda a segunda, sem açúcar e sem gordura. Só isso já ajuda a ter uma pele melhor. Uso diariamente creme facial e corporal, cabelo sempre hidratado, faço exercícios físicos no mínimo cinco vezes na semana, além de uma boa noite de sono. Isso tudo é primordial!

Existe uma idade para começar e para terminar nessa carreira?
Na verdade, não. Pode começar até bebê, porém, para algo internacional existe uma idade mínima para viajar, então, antes dos 16 anos é difícil. Agora, a gente sabe que é uma carreira curta, mas nada impede de você modelar com mais idade. Vai depender muito do mercado, porém é fato que o auge da carreira é breve!

No dia a dia, você também gosta de estar sempre arrumada ou faz o tipo mais básico?
Em casa, sempre o básico para deixar a pele respirar, mas eu não saio sem uma boa máscara de cílios. Básica, porém arrumada!

O que a Fernanda não vive sem, quando o assunto é moda e beleza?
Maquiagem e salto!

Para quem deseja seguir uma carreira como a sua, qual conselho daria?
Estudar, ter uma formação, falar o mínimo de inglês, para poder se comunicar em qualquer país. Ter maturidade, pois a vida lá fora não é nada fácil, por mais glamouroso que tudo isso possa parecer. Se você não tiver a cabeça feita, não aguenta a pressão e pode até se perder pelo caminho com más companhias, bebidas e drogas. E finalmente, se dedicar! Por mais que seja uma profissão difícil, se batalhar é possível realizar os sonhos, assim como eu estou realizando os meus.

Jucimara Lima

Blog da colunista social do LIBERAL, Jucimara Lima, com notícias e informações sobre Americana e região!