01 de outubro de 2020 Atualizado 12:24

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Blog da Eclética - por Jucimara Lima

Sem Cerimônias com: Antonia Vicente

Por Jucimara Lima

12 ago 2020 às 09:37 • Última atualização 12 ago 2020 às 09:38

Antonia Vicente é proprietária do I Love Brechó - Foto: Jucimara Lima

Antonia Vicente é formada em Administração de Empresas, já atuou como conselheira municipal dos Direitos da Mulher, tendo chegada à presidência, e depois de se aposentar, escolheu atuar como empreendedora, criando o I Love Brechó SBO. Coincidência ou não, nasceu na cidade paranaense de Cianorte, que é considerada capital do vestuário e teve seu primeiro contato com a arte de “garimpar”, aos 10 anos, quando gostou de um vestido de lese de propriedade de sua vizinha, negociou e levou, um marco em sua infância. Em Americana, criou os filhos e de uma vontade imensa de empreender que ela sempre teve, nasceu o seu novo negócio, que já tem um ano de atuação. Como ela é uma das entrevistadas do programa Música e Moda, que vai ao ar pela FM GOLD, a partir das 10h, no domingo, a Eclética aproveitou para bater um papo com ela também. Confira!

Como a I Love Brechó SBO surgiu?
Ela nasceu da vontade de empreender e de ter meu próprio negócio.

Por que escolheu esse segmento?
Escolhi esse segmento por ser de investimento inicial relativamente baixo. Além disso, o ramo do Brechó segue em ascensão. Outra motivação é que realmente acredito que esse tipo de negócio tem papel importante quando o assunto é a sustentabilidade do planeta. Hoje, a população mundial vive um período de mudança em relação ao consumo consciente.

É possível definir um perfil das pessoas que consomem em brechó?
São pessoas com consciência sustentável, que prezam por um consumo consciente, e que querem pagar pouco por peças de qualidade e de modelos únicos. Os clientes de brechó são de todas as idades, sexo e poder aquisitivo. Eles têm em comum a busca por uma moda inteligente.

Existe uma ideia de que brechós só trabalham com peças usadas. Isso é verdade?
No meu brechó, trabalho com roupas semi-novas e novas. Contudo, as de marcas são as mais procuradas. O novo conceito de brechó é o garimpar tendo todos estilos em um único lugar. As peças são únicas. “ Serviu, vestiu bem, amei, já é minha”.

É possível estar na moda usando apenas peças de brechó?
Sim, sem dúvida! A moda é um vai e vem constante.

No Brasil, ainda existe preconceito sobre compras em brechó?
Sim, mas aos poucos este preconceito está sendo desconstruindo, principalmente quando se trata da sustentabilidade que gera ao nosso planeta.

Como é feita a coleta e triagem das peças para o brechó?
Através de compras e trocas na loja. Avaliamos com bastante critério o estado e qualidade das peças, assim o cliente saberá que encontrará facilmente peças de alta costura, impecável e única, tudo feito com muito carinho.

Como saber se as roupas que tenho, serviriam para um brechó?
Roupas em ótimo estado, semi-novas, novas, de marcas famosas e não famosas.

É possível ganhar uma “graninha” vendendo roupas para brechós revenderem? Claro, temos alguns critérios para compra/venda, podendo ser pagamento em dinheiro, crédito na loja e troca de peças.

O seu brechó vende de tudo?Trabalhamos com roupas femininas, sapatos, tênis, acessórios, óculos, etc…

Que conselho daria para as pessoas que querem garimpar boas peças em um brechó? Garimpar! Este é o segredo, olhar tudo, ir com tempo. Existem pérolas e tenho certeza que vai encontrar algo que irá amar, e aqui deixo recado com muito carinho: Visite o nosso brechó e todos os outros de nossa região.

Jucimara Lima

Blog da colunista social do LIBERAL, Jucimara Lima, com notícias e informações sobre Americana e região!