30 de novembro de 2020 Atualizado 15:16

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Blog da Eclética - por Jucimara Lima

Sem Cerimônias com a enóloga Eloiza Teixeira

Por Jucimara Lima

22 out 2020 às 09:58

A americanense Eloiza Teixeira é enóloga da Miolo e tem formação internacional - Foto: Arquivo Pessoal

Hoje é Dia do Enólogo, esse profissional essencial no universo dos vinhos, que entre outras atribuições se especializou no estudo, análise e elaboração de todas as bebidas que tenham a uva como base.
Para lembrar da data, estive procurando alguém que pudesse falar sobre o assunto com conhecimento e expertise. Para minha surpresa e alegria, encontrei a Eloiza Teixeira, americanense de nascimento, que aos 36 anos é enóloga da Miolo, uma das maiores vinícolas do Brasil.
Ano passado, um vinho que ela elaborou, um branco da variedade Verdejo, ficou entre as 16 amostras mais representativas na Avaliação Nacional de Vinhos da safra 2019.
Formada em Gastronomia pela Unisul de Florianópolis, foi a partir desse curso que a moça descobriu a paixão pela Enologia. Depois dele, ela investiu em uma segunda graduação. A Licenciatura em Enologia foi concluída com sucesso, em Vila Real, Norte de Portugal.
Em terras lusitanas, além de ter dado um start em sua experiência profissional, Elo viveu por cinco anos. Além de estágios de vindima em Portugal, sua vivência internacional tem passagens pelos Estados Unidos, Chile, Argentina e Austrália.

Em 2014, voltou para o Brasil e estagiou em uma das vinícolas da Miolo, na Campanha Meridional.
Bem-sucedida no estágio, acabou sendo contratada para trabalhar na Miolo, em Bento Gonçalves. Aliás, a Miolo trouxe o que foi para ela o maior desafio de sua vida: estar à frente de toda a elaboração dos vinhos e espumantes da empresa, no Vale do São Francisco na Bahia. Confira um pouco mais do que a enóloga compartilhou com a gente.

O QUE FAZ UM ENÓLOGO?
O enólogo é responsável por muitas coisas dentro de tudo que envolve a elaboração de suco, vinhos e até mesmo do destilado de vinho (brandy ou a grappa), mas também pode seguir em outros segmentos, desde a venda como também a divulgação do vinho.

EXISTE MUITA CONFUSÃO NOS TERMOS ENÓLOGO, SOMMELIER E ENÓFILO. A QUE ATRIBUI ISSO?
A confusão vem, porque no Brasil não temos a cultura do vinho. Os três termos estão relacionados ao vinho, assim parecem ser tudo a mesma coisa. Se resumirmos: o enólogo é responsável pela elaboração. O sommelier estuda e aprofunda-se sobre o vinho, harmonização e comercialização (é quem normalmente encontramos nos restaurantes, nos ajudando nas harmonizações com os pratos) e o enófilo somos todos nós, juntos e misturados… (risos) É simplesmente quem aprecia a bebida.

COMO É O MERCADO BRASILEIRO PARA O ENÓLOGO?
Cada vez mais há enólogos saindo das Universidades (temos no RS/SP/PE) e escolas técnicas. Agora, basta saber o que quer exatamente. Muita gente pensa ser um trabalho glamouroso, mas nos bastidores é bem puxado.
Para ser um bom enólogo é preciso ter muita dedicação e principalmente, gostar de vinho e não elitizá-lo. O vinho agrega, o vinho socializa, é democrático, enfim, tem pra todos os gostos e bolsos.

NO DIA DO ENÓLOGO, QUAL DICA DARIA PARA QUEM PRETENDE SEGUIR ESSA CARREIRA?
Para quem quer desbravar este mundo, eu aconselho que realmente se dedique e que trabalhe muito. Sem dúvida a experiência é importantíssima.

Jucimara Lima

Blog da colunista social do LIBERAL, Jucimara Lima, com notícias e informações sobre Americana e região!