28 de novembro de 2020 Atualizado 19:56

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Retomada consciente

Por Da Redação

30 Maio 2020 às 08:13 • Última atualização 01 jun 2020 às 08:14

Após o anúncio do governador João Doria, de flexibilizar o funcionamento das atividades não essenciais interrompidas na quarentena contra o novo coronavírus (Covid-19), as prefeituras da RPT (Região do Polo Têxtil) passaram a definir de que forma setores como o comércio poderão atender os clientes neste período que é considerado como de controle da circulação do vírus.

Por meio de decretos, os governos municipais têm definido situações como o período de até quatro horas para que lojas e shoppings funcionem, a redução de clientes atendidos ao mesmo tempo dentro de um estabelecimento e medidas básicas, como a disponibilização de álcool em gel e a orientação pelo uso de máscaras.

O anseio pela retomada divide a população. Por um lado, há os que temem pelo avanço da doença e pela possibilidade de que ela afete o sistema de saúde como um todo, principalmente pela capacidade de ocupar leitos. Por outro, a questão econômica, com redução das atividades comerciais, principalmente, pesa para os que viram a renda mensal sumir em meio à quarentena e que, sem previsão de volta ao trabalho, se diziam apreensivos com o futuro. Situações que o LIBERAL mostrou mais de uma vez por aqui.

Autorizada, a esperada retomada para muita gente continuará a implicar no risco de contaminação, já que o vírus continua a circular por todo o Estado, e, por isso, precisa ser cautelosa. É preciso ter consciência e colocar em prática, mais do que nunca, medidas de higiene que protejam a si e aos outros. Aos lojistas que reabrirão suas portas e atrairão mais gente às ruas, fica o compromisso de orientar seus clientes para que a comunidade não regrida no combate à doença e tenha mais cidadãos adoecidos. A quem tem a possibilidade de permanecer dentro de casa, não hesite, porque o recado é o mesmo: fique em casa.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.