23 de fevereiro de 2024 Atualizado 15:20

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Pelas Páginas da Literatura

Resenha: ‘A Era Imoral’, de Deepti Kapoor

Aguardado épico faz retrato da Índia contemporânea

Por Marina Zanaki

29 de abril de 2023, às 10h43

O aguardado “A Era Imoral”, da jornalista Deepti Kapoor, chegou às livrarias em março pela editora Intrínseca. Fazendo um retrato da Índia contemporânea, ele acompanha três personagens ao longo de décadas em uma história sobre poder, luxo e submissão.

Primeiro livro de uma trilogia, “A Era Imoral” apresenta o leitor a Ajay, um homem de origem miserável que constrói sua vida com base na servidão; Sunny Wadia, herdeiro de um dos homens mais ricos e poderosos do país; e Neda, uma jornalista presa nas ambições da classe média. A vida dos três vai se entrelaçar e culminar numa tragédia que vai redefinir seus destinos.

📲 Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O livro conta a mesma história pela perspectiva desses três personagens, cujas classes sociais determinam como cada um vai viver aqueles acontecimentos. É curioso observar que o segregacionista sistema de castas tem um peso enorme sobre a vida de Ajay, um dalit que está na posição mais baixa dessa pirâmide. Para Neda e Sunny, a posição social já se descolou desse sistema e está inserida na lógica do capitalismo, ligada a fatores como dinheiro e influência. A escrita da autora é direta e, ao mesmo tempo, evoca imagens poéticas de maneira afiada.

Em resenhas internacionais, o elogiado livro foi comparado ao romance “O Poderoso Chefão”, já que a família Wadia ecoa o poder ilimitado da máfia italiana, e também ao clássico “Grande Gatsby”. Sunny encarna o papel do milionário enigmático e perturbado, com a diferença que, enquanto Gatsby construiu sua fortuna, Sunny a herdou da família. Reside nessa diferença o grande desejo do personagem de se provar e alcançar a aprovação paterna.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região!

Deixo a ressalva que, na reta final, a autora introduz um novo arco como gancho para o próximo livro. Achei confusa a forma como essa trama foi trabalhada, e a narrativa perdeu um pouco de seu ritmo frenético. Mas sigo interessada em saber como Deepti Kapoor vai conduzir sua grandiosa obra.

Às vezes, tudo que precisamos é ler uma longa saga familiar épica. Quando sentir vontade de mergulhar em um grande livro (literal e metaforicamente), comece “A Era Imoral” sem medo.

Marina Zanaki

Repórter do LIBERAL, a jornalista Marina Zanaki é aficionada pela literatura e discutirá, neste blog, temas relacionados ao universo literário.