25 de setembro de 2020 Atualizado 22:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Artigos de leitores

Refletindo sobre balões e alfinetes

Por Katya Forti

06 ago 2020 às 08:17 • Última atualização 06 ago 2020 às 08:21

“Somos balões cheios de sentimentos em um mundo repleto de alfinetes…”
Eis a frase que encontrei recentemente em rede social, da amiga Daniela Santana.

E ela me fez pensar em muitas coisas.

Quando o desejo de vencer se eleva, os pensamentos ganham força, sendo que nada é capaz de detê-los. Tal balões, que sobem ao céu, ficando cada vez mais distantes da materialidade.

Momento em que aquilo que parecia uma ameaça, apresenta-se tão pequeno e diminuto, que ao invés de causar medo, o impulsiona a subir cada vez mais.

É dessa forma que devemos pensar e agir, quando se trata de ir em busca daquilo que desejamos para as nossas vidas.

Vivemos cercados de pessoas de toda índole. Aquelas que vibram por nós, por nossas conquistas, que nos ajudam a caminhar, e também há aquelas com convicções menores, que ainda não compreenderam como gravita uma faixa vibracional, no sentido de que uma corrente do bem favorece a todos.
Elas ainda não assimilaram isso. E como mecanismo de defesa, com suas atitudes, acabam nos ferindo, tal alfinetes aqui citados.

Mas é preciso uma energia grandiosa para que as ações alheias não encontrem brechas em nosso campo mental. “O alfinete que quiser chegar até as minhas emoções terá muito trabalho. Não vou permitir que me machuque de novo”.

Inflamos os balões, sem saber como mantê-los no ar. Invariavelmente, aí se configura um traço de evolução.

É de Frida Kahlo seguinte afirmação: “Construir muros ao redor dos sentimentos é arriscar ser devorado pelo nosso interior”.

No entanto, movimentar-se com armaduras é complicado e nos falta liberdade. 

E todos, em seu devido tempo, chegarão ao lugar destinado ao seu merecimento.

“O celerado de hoje, será o arcanjo de amanhã”.

*Katya Forti é pedagoga

Colaboração

Artigos de opinião enviados pelos leitores do LIBERAL. Para colaborar, envie os textos, com 1.800 caracteres (já contando os espaços), para o e-mail opiniao@liberal.com.br.