28 de setembro de 2020 Atualizado 21:51

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Artigos de leitores

Prevenir sempre será o melhor remédio

Por Marcelo M. Pereira

09 jun 2020 às 07:44

Dor nas costas é uma das queixas mais frequentes da humanidade. Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, entre 65% e 80% da população mundial desenvolve dor na coluna em alguma etapa de suas vidas, no entanto, mais de 50% dos pacientes melhoram após uma semana; 90% após 8 semanas; e apenas 5% continuam apresentando os sintomas por mais de 6 meses ou apresentam alguma incapacidade.

A ergonomia é um dos fatores chave para tais problemas, uma vez que, ao colocarmos em nossa rotina hábitos de movimentos e compensações, estes esforços repetitivos desequilibrados acabam sendo o gatilho para desencadear problemas nas articulações mais sobrecarregadas e menos fortalecidas, normalmente nas costas.

A coluna vertebral é uma complexa rede de nervos, articulações, músculos, tendões e ligamentos, e todos são capazes de produzir dor, pois é através destes que correm todos os nervosos sensitivos principais de nosso corpo. Grandes nervos que se originam na coluna e vão para as pernas e braços podem espalhar dor para as extremidades. É possível ainda incluir outros sintomas de dor, como fraqueza, dormência ou formigamento.

O bom de toda esta história é que sem medicamento algum as dores nas costas podem ser controladas e/ou evitadas com um programa de treinamento que inclui o fortalecimento muscular, com musculação, flexibilidade e mobilidade. Além é claro de um acompanhamento profissional colocando durante a atividade a importância da propriocepção durante as execuções. Ter boa postura e um abdômen forte é a melhor defesa do organismo contra a dor nas costas.

Prevenir sempre será o melhor remédio. Mantenha uma vida ativa! Faça exercícios!

* Marcelo M. Pereira é professor Mestre de Educação Física.

Colaboração

Artigos de opinião enviados pelos leitores do LIBERAL. Para colaborar, envie os textos, com 1.800 caracteres (já contando os espaços), para o e-mail opiniao@liberal.com.br.