12 de julho de 2024 Atualizado 12:10

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Saúde em Pauta

O que é alergia?

Por Paulo Renato Monteiro da Silva

17 de junho de 2024, às 17h08

Nosso sistema imunológico existe com a finalidade de defender nosso corpo contra uma série de elementos externos, como vírus, fungos e bactérias, e que podem entrar em nosso organismo através do ar inalado, pela alimentação, por um corte, um machucado etc. E é contra esses invasores que deveria existir a reação da imunidade, porém, os alérgicos reagem contra substâncias que deveriam ser inofensivas e tentam combatê-las provocando uma reação exagerada.

Podemos dizer que alergia é uma falta de tolerância do nosso sistema imune contra elementos que normalmente deveriam ser tolerados. Como exemplo: as pessoas comem peixe e amendoim o tempo todo e gostam muito disso, no entanto, aqueles que têm alergia reconhecem o alimento como um inimigo e reagem contra ele liberando uma porção de produtos químicos que podem causar uma série de transtornos como: prurido, erupções na pele, chiado no peito, tosse, falta de ar, vômitos, desmaio etc.

A esse erro na identificação do inimigo, causando um exagero na resposta do sistema imunológico, chamamos de reação alérgica (ou hipersensibilidade).

Chamamos as substâncias geralmente inofensivas e que podem provocar uma reação exagerada do sistema imunológico de alérgenos. Alguns alérgenos mais comuns são que atingem as vias respiratórias, como ácaros (principais alérgenos presentes na poeira), pólens, fungos (mofo) e epitélio de animais domésticos. Outros elementos que podem funcionar como alérgenos: medicamentos, veneno de insetos, camarão, látex (borracha) etc.

A reação alérgica acontece quando nosso corpo reconhece uma substância como alérgeno. A partir daí, nosso sistema imunológico passa a produzir grandes quantidades de um anticorpo chamado de Imunoglobulina E (IgE). Essa IgE tem uma grande capacidade de se ligar à superfície de uma célula chamada mastócito e cada vez que a pessoa tiver contato com esse alérgeno novamente, a citada IgE irá estimular o tal do mastócito e este irá liberar uma série de substâncias, sendo a mais conhecida a histamina. Estes produtos químicos é que serão responsáveis pelos sintomas da alergia.

Essas substâncias provocam inflamação no local onde são liberadas, e esse processo inflamatório é o responsável pelas manifestações clínicas das diversas formas de alergias. Nem todos nós temos alergia. Não se sabe ao certo porque algumas substâncias provocam alergia e outras não. E mais, porque algumas pessoas manifestam reações alérgicas e outras não.

Sabemos que as alergias têm uma base genética importante, motivo pelo qual valorizamos tanto a história familiar, sendo esse um fator que pode predispor uma pessoa a ter uma doença alérgica. As chances de uma pessoa desenvolver alergia quando um dos pais é alérgico é em torno de 40%, podendo chegar a 70%.

As alergias podem acometer os pulmões, a faringe, o nariz, a pele, o aparelho digestório, os olhos, e muito frequentemente de forma associada, por exemplo: um paciente pode apresentar sintomas de rinite associado com asma e manifestações oculares ao mesmo tempo.

Embora os quadros de alergia estejam cada vez mais frequentes, também estamos tendo melhores formas de atuar, com mais eficiência no controle dessas situações. Podemos dizer que o tratamento da alergia se fundamenta em três coisas. Primeiro, evitar o contato com o alérgeno em questão. Segundo, medicamentos direcionados conforme a manifestação clínica que a pessoa tenha. E, terceiro, imunização específica, também conhecida como vacina para alergia, cabendo ressaltar que essa forma de tratamento é bastante eficaz. No entanto, a indicação deve ser bastante criteriosa.

Paulo Renato Monteiro da Silva

O médico Paulo Renato Monteiro da Silva, especialista em alergologia e imunologia, fala sobre temas da saúde em alta e sobre como manter hábitos saudáveis