29 de outubro de 2020 Atualizado 20:20

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Histórias de Americana

O equívoco da imagem

Por Jefferson Luis Rodrigues Bocardi

11 fev 2020 às 08:58 • Última atualização 28 abr 2020 às 09:00

Em maio de 1824, estabelecia-se no Brasil o pintor, desenhista, tipógrafo e fotógrafo Hércules Florence, criador de uma aquarela mostrando o “Engenho da Cachoeira”, propriedade de Antonio Manoel Teixeira. Durante muito tempo, acreditava-se que ela representava o atual casarão de Salto Grande, também propriedade da família Teixeira Vilela.

A pesquisa desenvolvida pelos Historiadores Independentes de Carioba, contudo, levantou a possibilidade de a imagem ter sido interpretada erroneamente. Pergunto: mas é possível interpretar uma imagem de forma errada? Sim, já que, por muito tempo, as imagens foram tratadas como meras ilustrações ou fontes secundárias pelos historiadores.

Peter Burke, importante historiador inglês, afirma que, muitas vezes, as imagens são utilizadas para defender uma ideia ou uma conclusão já apresentada no texto. Burke defende que as imagens são fontes, devem causar novos questionamentos e trazer novas respostas.

Com a premissa de que a imagem fornece novas possibilidades, debruçamo-nos sobre a aquarela pintada por Florence e, ao analisarmos, pudemos perceber algumas características que evidenciam se tratar de outro casarão que não Salto Grande.

A aquarela representa o “Engenho da Cachoeira”, visto a partir da margem do Rio Jaguari, mas percebemos que a parte da frente da casa, virada para o rio, não é compatível com o prédio que hoje abriga o Museu Histórico e Pedagógico Doutor João da Silva Carrão, de Americana.

Outra evidência forte que colaborou para a confirmação da hipótese foi a ausência do encontro dos rios Jaguari e Atibaia na imagem, característica marcante da geografia local e que deveria aparecer pela perspectiva adotada.

Portanto, a aquarela de Florence foi uma fonte primordial para lançar novos olhares para o papel da imagem na formação da narrativa histórica da formação de Americana.

*Jefferson Luis Rodrigues Bocardi é membro do grupo Historiadores Independentes de Carioba, dedicado à pesquisa histórica sobre Americana

Historiadores de Carioba

Blog abastecido pelo grupo Historiadores Independentes de Carioba, que se dedica à pesquisa histórica sobre Americana.