21 de junho de 2024 Atualizado 22:08

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Naty Camoleze

Netflix e seus filmes pra lá de sensuais!

Já parou para pensar como essas sequências são gravadas?

Por Naty Camoleze

01 de fevereiro de 2024, às 15h14

Nas últimas semanas, furando qualquer bolha possível dos streamings, tivemos o filme brasileiro ‘O lado bom de ser Traída‘, com Giovanna Lancellotti e Leandro Lima como protagonistas. Pra vocês terem ideia a produção se tornou a mais vista mundialmente em língua não inglesa.

Segundo a Netflix, a produção entrou no top 10 em 87 países. O Lado Bom de ser Traída é baseado no livro de Sue Hecker com o mesmo nome, conta a história de Babi (Giovanna Lancelotti), uma jovem noiva que descobre, durante sua despedida de solteira, que é traída pelo noivo.

O lado bom de ser traída – Foto: Juliana Cerdeira / Netflix

Desiludida, ela consegue sair da fossa se jogando nos braços de um misterioso juiz (Leandro Lima) – e olha que abusam e abusam de muitaaaa cena sensual e um tom de suspense investigativo.

A história é uma jornada emocional repleta de reviravoltas e paixão ardente. Ela pretende mergulhar nos dilemas humanos, abordando questões universais como amor, desejo, escolhas difíceis e autodescoberta.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

A atriz principal destacou em entrevista que ver as cenas foi mais difícil do que fazer. “As cenas de sexo ajudavam a contar essa história, elas tinham um propósito. Não era uma nudez gratuita e isso também nos fez sentir mais confortável. Independente de ter essas cenas, não é isso que chama mais atenção. Temos uma boa história, isso dá uma segurança mesmo com a exposição.”

Agora, o difícil é imaginar como são feitas essas cenas. Para isso, as produções utilizam de um coordenador de intimidade, para que os atores façam algo parecer que é, mas não é, entende? É importante que os atores tenham seu limite respeitado e se sintam à vontade para fazer as cenas.

Siga o LIBERAL no Instagram e fique por dentro do noticiário de Americana e região.

Antes desse profissional existir na indústria cinematográfica, aconteceram casos bem polêmicos. No filme “O Último Tango em Paris”, de 1973, há uma cena chocante em que o personagem Paul, interpretado por Marlon Brando, estupra Jeanne, personagem de Maria Schneider, usando manteiga como lubrificante.

Ela tinha apenas 19 anos na época, enquanto Brando tinha 48. Ela contou em uma entrevista ao Daily Mail, em 2007, que a cena não estava no roteiro original e que o ator teve a ideia de fazer a simulação pouco antes de começarem a filmar. “Eu fiquei tão brava”, lembrou.

Faça parte do Club Class, um clube de vantagens exclusivo para os assinantes. Confira nossos parceiros!

“Marlon me disse ‘Maria, não se preocupe, é só um filme’, mas durante a cena, mesmo que o que Marlon estivesse fazendo não fosse real, eu chorei lágrimas de verdade.”

A atriz ainda disse que se sentiu humilhada e “um pouco abusada” por Marlon e pelo diretor Bernardo Bertolucci. Depois da cena, Marlon não se desculpou. “Felizmente, foi apenas um take”, afirmou a atriz.

Esse é o tipo de situação que, com um coordenador de intimidade presente, não aconteceria. É por esse motivo que para se tornar este profissional é preciso de um conjunto de habilidades e treinamento específicos.

O coordenador de intimidade pode também analisar o ambiente: em geral, as cenas de sexo não são vistas por quase ninguém no set, que trabalha apenas com a equipe essencial para as filmagens. Esse recurso foi o que rolou nos bastidores de 365 Dias, um dos filmes mais picantes da Netflix.

“Criamos a atmosfera mais íntima possível para os atores. Reduzimos o time do set ao mínimo absoluto e seguimos a ação deles, para tentar mostrar sua paixão da forma mais natural possível”, disse o cineasta Bartek Cierlica à Variety.

Alguns pontos de atenção nessas cenas são:

Contrato
Antes de qualquer coisa, vale ressaltar que os artistas não são pegos de surpresa pelas cenas picantes: antes mesmo de aceitar um trabalho, o contrato precisa deixar claro se haverá nudez ou cenas sexuais. E tudo fica muito bem especificado, até quais partes do corpo serão mostradas e por quanto tempo aparecerão na tela.

Trata-se de uma imposição do SAG-AFTRA, sindicato que representa atores nos Estados Unidos e é responsável pelo SAG Awards, uma das premiações mais importantes do cinema.

Rosto de um, corpo de outro
Não é incomum também que dublês sejam contratados para executar só os momentinhos mais quentes: se um casal está na cama, por exemplo, é possível que vejamos os atores principais apenas da cintura para cima. O restante do corpo pode pertencer as outras pessoas, contratadas como dublês.

Tapa-sexo
outro recurso bastante comum é o uso do chamado tapa-sexo, uma espécie de meia ou adesivo usado para cobrir apenas as partes íntimas dos atores. Combinado ao jogo de câmeras do diretor, o item fica invisível para o público e dá sensação de nudez completa. Esse foi o recurso usado, por exemplo, em 50 Tons de Cinza.

Outras produções pra lá de sensuais para vocês acompanharem:

Por Trás da Inocência

Assim como O Lado Bom de Ser Traída (e outros filmes eróticos da Netflix), Por Trás da Inocência se estabeleceu como um verdadeiro sucesso em sua estreia original na plataforma.

O longa chegou ao streaming em 2021, permanecendo por um bom tempo no Top 10 brasileiro.

Na trama quente, ficção e realidade se confundem quando uma escritora de sucesso com bloqueio criativo contrata uma nova babá para os filhos. O longa é protagonizado por Kristin Davis, a Charlotte da série Sex and the City.

Fica Comigo

Se você curte filmes eróticos cheios de reviravoltas, nos quais todos os personagens guardam segredos e nada é o que parece, Fica Comigo é a sugestão perfeita para assistir após O Lado Bom de Ser Traída na Netflix. Embora tenha desagradado a crítica especializada, o longa faz muito sucesso na plataforma.

Fica Comigo conta a história de Holly, uma jovem que, após uma intensa noite de sexo, desenvolve uma grande obsessão pelo ficante Tyler, e, na esperança de continuar o romance, começa a estudar na escola dele. Bella Thorne (A Babá) interpreta a protagonista.

O Amante de Lady Chatterley

Elogiado por público e crítica, O Amante de Lady Chatterley estreou na Netflix em 2022. Baseado no livro homônimo de D. H. Lawrence, o filme é celebrado por sua trama sensível, pelo erotismo da história e pela inegável química que é compartilhada pelo elenco.

Foca na história da personagem título, uma aristocrata britânica que, infeliz em seu casamento, começa um affair quente com um empregado do marido. Emma Corrin, a Princesa Diana de The Crown, e Jack O’Connell (Eden Lake) protagonizam o longa.

365 Dias (e suas continuações)

Uma das franquias mais populares da história da Netflix, 365 Dias foi a primeira a provar o potencial das produções eróticas do streaming. Apesar de ter sido completamente detonada pela crítica especializada, a saga se tornou um enorme sucesso de audiência.

Quase pornográfica, a franquia 365 Dias acompanha a história de Laura, uma jovem que, em pleno aniversário, é sequestrada por um mafioso italiano e, a partir daí, tem 365 dias para se apaixonar por ele. Após o sucesso do primeiro filme, a franquia ganhou duas sequências.

Para saber mais dicas de filmes e séries acesse o meu canal no YouTube.

Texto publicado originalmente em 5 de novembro de 2023

Naty Camoleze

Jornalista, comunicadora e apaixonada pelo universo de filmes e séries, sempre busca algo escondidinho nos streamings para indicar