30 de outubro de 2020 Atualizado 22:03

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Mudança de hábitos para avançar na prática

Os dias que antecederam o mais recente anúncio do Plano SP foram marcados, em Americana, por três recordes negativos de isolamento

Por Redação

26 jul 2020 às 08:00 • Última atualização 25 jul 2020 às 17:37

Apesar da recomendação de distanciamento social encarada com desdém, especialmente na última semana, Americana e região progridem para a fase laranja do Plano São Paulo a partir desta segunda-feira. O avanço de etapa após três semanas de regressão à estaca inicial e mais rígida, a vermelha, representa que comércios não essenciais, escritórios e concessionárias, entre outras ramificações comerciais detalhadas via decretos municipais a partir do sinal verde do governo paulista, podem voltar a funcionar.

Com isso, cresce novamente o fluxo de pessoas nas ruas e, consequentemente, o risco de contágio do novo coronavírus (Covid-19). Entretanto, esta ponderação é feita na teoria, porque na prática o regimento no qual as cidades da RPT (Região do Polo Têxtil) estão inclusas até este domingo não foi capaz de modificar a dinâmica de comportamento da população. E projetar se será percebido um avanço da pandemia em nível local a partir da semana que se inicia é uma análise que não está mais atrelada à variação de fases do plano implantado pelo Palácio dos Bandeirantes.

Os dias que antecederam o mais recente anúncio nesse sentido foram marcados, em Americana, por três recordes negativos nos percentuais de isolamento social. Esse índice foi de 38% na última quinta-feira, dia 23, segundo medição do Estado.

Trata-se do mesmo patamar que a cidade registrava no começo de março, quando do início da medição, antes da primeira morte na região e do decreto de quarentena. Ou seja, um comportamento que se configura como o “velho normal”, nada tendo de novo.

As peças oficiais do governo paulista trocaram o apelo do #FiqueEmCasa pelo #UseMáscara, numa substituição de tom diante da ineficácia no atendimento ao chamado feito. Sem uma revisão de hábitos, não será a paleta de cores do Plano São Paulo que definirá nosso estágio em relação à doença.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.