01 de dezembro de 2020 Atualizado 20:07

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Memória Eleitoral

Disputa pela câmara

Por Luciano Bianco

15 nov 2020 às 07:00 • Última atualização 14 nov 2020 às 17:36

Na história política da câmara de vereadores muitos parlamentares ficam por três, quatro ou cinco mandatos. Alguns conseguem a reeleição e até parecem intocáveis. Nas eleições de 2016 tivemos em Americana uma das maiores renovações no Legislativo.

Entre os 19 parlamentares que faziam parte da legislatura 2013-2016, apenas quatro deles conseguiram a reeleição: Luiz da Rodaben, Kim, Odair Dias e Otto Kinsui. Entre eles, Odair Dias foi convidado pelo prefeito Omar Najar para ser secretário de Meio Ambiente e, com isso, abriu vaga para Pedro Peol, que era vereador no mandato anterior e ficou desta vez como primeiro suplente. Nas eleições deste domingo, pela primeira vez na história de Americana, quatro vereadores irão disputar o cargo de chefe do Executivo: Alfredo Ondas, Kim, Maria Giovana e Rafael Macris.

Além deles, dois atuais legisladores são vice: Odir Demarchi e Welington Rezende. Odair Dias está atuando como coordenador da campanha de Rafael Macris e resolveu ficou fora da disputa à reeleição. Desta forma, dos atuais 19 vereadores que fazem parte da atual gestão, sete deles não voltam. Kim é o vereador com mais tempo de mandato na câmara. Ele está na sua quinta legislatura. Outro assunto que mexe muito nos bastidores é a eleição da Mesa Diretora da Câmara. Se o prefeito tem maioria, ele consegue formar seu grupo. Caso contrário, terá dificuldades para a votação de seus projetos.

Muitas reuniões e negociações avançam pela madrugada, principalmente no dia da posse, em 1º de janeiro, quando a nova Mesa é formada. Duas grandes derrotas o prefeito Waldemar Tebaldi sofreu no seu terceiro mandato (1997-2000).

Por uma divisão do grupo do PDT sobre o nome na disputa, pela diferença de um voto, a vitória ficou com José Antonio Zazeri, como presidente da câmara.

Tebaldi não gostou do resultado, se irritou e tentou dois anos depois fazer o presidente e defendeu a união. A cena se repetiu e a derrota também ocorreu novamente por um voto. Cláudio Froner ganhou. Em outro mandato, Tebaldi conseguiu unir o grupo, e o mesmo aconteceu posteriormente nos governos de Erich Hetzl Júnior, Diego De Nadai e Omar Najar.

Reginaldo Gonçalves

O jornalista Reginaldo Gonçalves traz fatos que recontam a história das eleições em Americana e região.