18 de janeiro de 2021 Atualizado 10:55

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Blog da Eclética - por Jucimara Lima

Dia da Propaganda: vamos recordar?

Por Jucimara Lima

04 dez 2020 às 10:11

O eterno baixinho da Kaser - Foto: Reprodução da Internet

Desde pequena sempre fui apaixonada por propaganda. Achava interessante as histórias que os comerciais de TV contavam. Tanto que muitas vezes gostava até mais do intervalo do que do programa que estava assistindo. Já adulta, cheguei a pensar em trocar o Jornalismo pela Publicidade, cursos que na faculdade são tão parecidos e, ao mesmo tempo, extremamente distintos.
Talvez por esse encantamento que a arte de valorizar um produto proporciona tenha me tornado uma colunista social apaixonada por lançamentos, inaugurações e novidades.
Dentro desse contexto, quantas propagandas inesquecíveis fazem parte da história da televisão brasileira. Bordões memoráveis, garotos-propagandas inesquecíveis, jingles eternos e mascotes que todos adorariam levar para casa (alguns até levamos como os bichinhos da Parmalat).
Essa semana, para preparar o conteúdo dessa coluna, perguntei aos nossos seguidores nas redes sociais qual era a melhor propaganda de todos os tempos. “Meu primeiro sutiã”, a campanha do Tio da Sukita, “Não esqueça a minha Caloi”, “Quem bate é o frio”, das Casas Pernambucanas, enfim. Quem tem mais de 30 anos com certeza se lembra desses emblemáticos comerciais.
Aproveitando o ensejo, não posso deixar de contar para vocês que sempre que penso em Natal, até hoje, aquela propaganda do Banco Nacional, que trazia a história de um garotinho atrasado para sua apresentação no coral da escola, é uma das que mais lembro. A música, então, se eu fechar os olhos, escuto até a introdução de “Quero ver você não chorar, nem olhar pra trás, nem se arrepender do que faz…”, voltando imediatamente a 1987, no auge dos meus 6 anos. Acredito que esse poder de colocar o telespectador dentro do comercial, gerando uma identificação e principalmente impactando emocionalmente, sempre foi o grande segredo dos comerciais inesquecíveis que influenciaram gerações a consumirem os produtos de determinadas marcas. Se recordar é viver, hoje vamos lembrar um pouco mais dessas propagandas especiais. Acompanhe!

“Vários! Tio do refrigerante Sukita, primeiro sutiã Valisere, Vasp (“atenção você com essa ficha na mão, embarque neste avião”), Pomaretti (“fazer a cosa nostra na cuccina”), Guaraná Antarctica (“pizza com guaraná”). O Brasil é muito conceituado no quesito, propaganda”Fernando Oliva Moraes

“Os bichinhos da Parmalat, Não esqueça a minha Caloi, O primeiro sutiã, Quero ver você não chorar…”Odisséia Bragagnolli

“Pipoca com guaraná da agência DM9 em 1991”Sandro Lima

“Muitas propagandas boas! Aquarela da Faber Castell, sempre emocionante!”Silvia Franco de Andrade

“Quem bate? É o frio….Não adianta bater, eu não deixo você entrar, as Casas Pernambucanas é que vão aquecer o seu lar”Celso Gagliardo

“Todas as propagandas de Natal da Coca-Cola”Heloisa Pinese Amaral

“Na minha opinião a propaganda do Itaú da década de 80, qual fazia uma comparação com a cesta de produtos Itaú usando a cesta de produtos da feira. Uma criação da agência DPZ.”Robson Cicolin

Jucimara Lima

Blog da colunista social do LIBERAL, Jucimara Lima, com notícias e informações sobre Americana e região!