22 de outubro de 2020 Atualizado 17:41

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Destaques eleitorais

Por Redação

30 set 2020 às 09:00

Com os registros de candidaturas encerrados na Justiça Eleitoral, as eleições municipais deste ano ganham contornos mais definitivos para o eleitor, assim como as singularidades deste pleito. Algumas delas já foram trazidas pelo LIBERAL em diversas reportagens, como o número recorde de candidaturas em Americana e a primeira vez que uma mulher tentará concorrer ao cargo de prefeita na cidade.

Nesta terça-feira, mostramos que as candidaturas de mulheres e de negros tiveram avanço na região. A participação dos negros em Americana, por exemplo, cresceu de 6% para 8% entre 2016 e 2020. Na cidade, houve um aumento de 87% no número absoluto de candidatos que se declararam de pele preta.

Em relação às mulheres, Americana terá três candidatas à prefeita, um fato inédito acompanhado por um crescimento pequeno, mas importante da participação feminina na disputa eleitoral. Em 2016, eram 123 mulheres concorrendo. Em 2020, são 173.

Os avanços se demonstraram de maneira semelhante em cidades da região e também de forma geral, por todo o País. Segundo os dados do TSE, o número de candidaturas femininas é o maior da história, em quantidade absoluta. E, ainda, pela primeira vez na história, a quantidade de candidatos que se declaram negra (preta ou parda) é maior do que a que se diz branca.

A diversidade ainda é discreta se considerado o aspecto heterogêneo da população brasileira. Deve se levar em conta ainda que os avanços desta diversidade de representantes do povo ocorrem após a definição de cotas de gênero e raça, que envolvem questões financeiras, de publicidade eleitoral e também de condições mínimas para partidos participarem das eleições. É um retrato positivo, mas que ainda não está exatamente delineado como uma característica das eleições.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.