21 de outubro de 2020 Atualizado 08:40

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Desafio econômico

Por Redação

02 out 2020 às 12:13 • Última atualização 02 out 2020 às 12:14

Em audiência pública nesta semana, o secretário de Fazenda da Prefeitura de Americana, Ricardo Fernandes, apresentou as finanças da administração até o segundo quadrimestre deste ano. O cumprimento de metas fiscais foi divulgado em meio a um dos momentos mais peculiares e gravosos, provocado pela pandemia do coronavírus. Os reflexos têm sido sentidos nas contas do município.

Na audiência, o secretário divulgou que a arrecadação no segundo quadrimestre, entre maio e agosto, foi maior do que as despesas. A diferença entre as duas foi superavitária, de R$ 49,3 milhões. Mas o dado, positivo, contrasta com as expectativas para os próximos meses.

A pandemia do coronavírus fez com que grande parte da arrecadação de impostos aos cofres públicos recuasse. Um tributo como o ICMS, por exemplo, cobrado sobre mercadorias e serviços, teve queda diante da quarentena, o que colocou muitas prefeituras em apuros, por ser uma das principais fontes de recurso público.

Em Americana, o secretário da Fazenda disse que o município conseguiu equilibrar as contas e não perder tanto com a arrecadação graças aos repasses feitos pelo governo federal, como forma de auxílio às prefeituras para gastos com a própria pandemia e com despesas gerais. Para a cidade, foram enviados R$ 26 milhões para o enfrentamento.

Ainda assim, a pandemia continua a inspirar preocupação na economia do município. Para 2021, o orçamento deve ser menor em nove das 13 secretarias municipais. Há estimativa de queda de 15% na arrecadação, um percentual totalmente fora dos planos de qualquer governo, especialmente dos que vão se iniciar. Depois de um período conturbado de crise política e financeira, Americana se vê na pandemia em uma nova situação que exige cautela redobrada com as contas da cidade. Será, novamente, um desafio para os gestores.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.