17 de junho de 2024 Atualizado 10:35

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Artigos de leitores

Como lidar com a ansiedade social?

Por Marihá Lopes

10 de novembro de 2023, às 09h00 • Última atualização em 10 de novembro de 2023, às 09h01

Assim como os sintomas do Covid-19 foram mudando conforme as novas variantes, a saúde mental da população também sofreu uma mudança expressiva. De início, falava-se sobre depressão e ansiedade, explicadas facilmente devido às perdas e incertezas. As coisas foram voltando ao normal e uma nova preocupação tomou conta, como voltar a me relacionar com os colegas de trabalho, faculdade e amigos.

Esse sofrimento pode ser entendido como ansiedade social ou fobia social. Observei que, em meu site, até o início do ano, a maioria das palavras-chave de busca era transtorno de ansiedade, mas, conforme o ano foi passando, as palavras-chave fobia social e ansiedade social foram aparecendo.

A ansiedade social faz parte dos transtornos e pode estar em um pavor de se apresentar em público, no pânico em se expor a multidões, no medo de ir a festas e na aversão de participar de reuniões. É comum a pessoa acreditar estar sempre sendo observada e que será criticada.

Esse tipo de demanda aumentou no consultório e é compreensível, já que muitos voltaram a trabalhar presencialmente ou de forma híbrida. São pessoas que eram vistas como mais tímidas ou retraídas. Com o retorno das atividades, essas pessoas estão tendo dificuldades.

A ansiedade segue uma espiral que sobe e para frear essa subida é importante identificar qual regra seu cérebro está elaborando para se manter nessa situação.

O acompanhamento psicoterapêutico ou psiquiátrico ajuda na flexibilização dos pensamentos, aumenta o repertório de habilidades sociais, diminui os sintomas de ansiedade e possibilita que a pessoa possa retornar às suas atividades. Não deixe para procurar ajuda quando estiver totalmente paralisado. Quanto mais cedo iniciar um tratamento, mais rápido é a melhora. Cuide-se! 

Marihá Lopes
Psicóloga clínica e especialista em terapia cognitiva comportamental

Colaboração

Artigos de opinião enviados pelos leitores do LIBERAL. Para colaborar, envie os textos para o e-mail opiniao@liberal.com.br.