28 de maio de 2020 Atualizado 17:52

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Ataques à imprensa

Por Da Redação

05 Maio 2020 às 11:17

No dia em que se comemorou a liberdade da imprensa no mundo, neste domingo, o Brasil teve notícia de mais um episódio lamentável contra o trabalho de jornalistas. O fato se deu em mais uma manifestação de apoiadores do presidente Jair Bolsonaro.

O repórter fotográfico do jornal O Estado de São Paulo, Dida Sampaio, foi derrubado e agredido enquanto registrava as imagens do ato na capital federal. O motorista do jornal que o acompanhava também foi alvo de agressões.

Na manifestação, que teve a participação do presidente, jornalistas de outros veículos que faziam a cobertura também foram ameaçados e expulsos do local. Nesta segunda-feira, o procurador-geral da República, Augusto Aras, pediu que o Ministério Público do Distrito Federal apure quem foram os autores das agressões.

A imprensa, em seu papel fundamental de ser crítica e fiscal dos poderes, nunca deixou de ser alvo de ataques. Por aqui, o leitor já viu constar inúmeras declarações de prefeitos e outros que não gostaram de reportagens que o LIBERAL publicou, especialmente, as que mostravam desmandos e irregularidades na gestão local. Isso continua ocorrendo e dificilmente deverá acabar.

Um dos mais famosos bordões que tentaram definir o Jornalismo, principalmente o que é empreendido com criticidade, fala justamente sobre como o trabalho da imprensa incomoda: notícia é algo que alguém não quer que seja publicado. O resto é publicidade.

A chegada de Jair Bolsonaro ao poder, lamentavelmente, levou jornalistas a conviverem com um alto risco de insegurança nas coberturas, algo que não se via há décadas. Os ataques quase diários do presidente a repórteres e veículos de mídia, que vão desde insinuações tacanhas a ofensas pessoais, são feitos de maneira pública.

A forma como Bolsonaro trata e expõe ao vexame a imprensa, bem com o ódio que propaga por meio de suas palavras e de seus filhos e aliados, é o que colabora para materializar ou tornar possíveis atitudes como a deste domingo. Esperar que o presidente dê qualquer exemplo de civilidade é algo com o que a imprensa não pode contar. Deixar de publicar o que ele não queira, porém, também não.

O Liberal