07 de agosto de 2020 Atualizado 20:04

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Histórias de Americana

Americana?

Por Gabriela Simonetti Trevisan

08 nov 2019 às 09:28 • Última atualização 28 abr 2020 às 09:29

O nome Americana frequentemente nos remete ao passado de imigração estadunidense. Entre 1861 e 1865, a Guerra de Secessão nos Estados Unidos colocou União e Confederação em disputa por interesses econômicos e territoriais.

Divididos, os estados do Norte e do Sul propunham projetos conflitantes para o país, e, dentre eles, a continuidade da escravidão.

É então que nos deparamos com a imigração confederada para o Brasil, em especial para nossa região.

Escapando da guerra, esses sulistas se estabelecem a partir da produção agrícola em um país no qual a abolição da escravidão acontece apenas em 1888.

É por sua presença que o Capitão Ignacio Correa Pacheco nomeia a cidade como “Villa dos Americanos”, na ocasião da fundação da Estação de Santa Bárbara, em 1875.

Muitas vezes, é pensada que a ocupação da região se inicia com essa imigração. Todavia, no final do século XVIII, diversas já eram as sesmarias doadas para portugueses e seus descentes na região.

Uma delas daria origem à fazenda Salto Grande, pertencente à família Campos Penteado desde o início do século XIX.

Além deles, famílias locais como Vilela e Machado mostravam-se grandes produtores de cana-de-açúcar e, depois, de café.

Proprietários como esses possuíam centenas de escravizados, homens cativos africanos ou nascidos no Brasil que trabalhavam de forma forçada, sob inúmeras violências, e que, muitas vezes, resistiam e aquilombavam-se.

A paisagem encontrada pelos norte-americanos, portanto, talvez seja um pouco diversa da presente no imaginário americanense.

Com um núcleo rural organizado, as terras viviam do sangue e do suor do trabalho escravo. Isso não significa que a imigração norte-americana e, logo depois, a italiana, não trouxeram mudanças substanciais, em especial para o mundo urbano da região.

Contudo, cabe a reflexão crítica: de quem escolhemos falar quando pensamos na fundação da cidade de Americana?

*Gabriela Simonetti Trevisan é membro do grupo Historiadores Independentes de Carioba, dedicado à pesquisa histórica sobre Americana

Historiadores de Carioba

Blog abastecido pelo grupo Historiadores Independentes de Carioba, que se dedica à pesquisa histórica sobre Americana.