21 de outubro de 2020 Atualizado 08:15

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Editorial

Americana sem água

Nestes dias de calor, pandemia e falta d’água em diversos bairros, custa ao americanense acreditar nas tais melhorias que o DAE diz fazer

Por Redação

04 out 2020 às 08:25 • Última atualização 04 out 2020 às 08:27

A foto que estampou a capa do LIBERAL na edição deste sábado é o retrato da precariedade que é o serviço de abastecimento de água em Americana.

Um ventilador de chão serve para “resfriar” o sistema elétrico que mantém em funcionamento as bombas que puxam a água que é tratada e distribuída na casa do americanense. A imagem é desoladora, especialmente no cenário que o município se encontra: calor extremo, falta d’água em diversos bairros e a pandemia do coronavírus.

E como se toda esta combinação não fosse suficiente, o DAE (Departamento de Água e Esgoto) chamou novamente os jornalistas para dar outra notícia desagradável. Se há duas semanas a coletiva de imprensa serviu para dizer que a falta d’água não seria resolvida se o calor não melhorasse ou se a população não economizasse, nesta última sexta-feira, a chefia da autarquia informou que uma operação na próxima terça-feira vai deixar toda a cidade sob grande risco de ver as torneiras secas por horas e, talvez, dias.

Apesar do timing desastroso, a tal operação será necessária para avançar na interligação de um novo sistema de captação de água bruta do Rio Piracicaba, mais moderno. Para isso, será preciso interromper a distribuição de água, o que exigirá economia da população, segundo o DAE, para variar.

Nestes dias de imensa insatisfação com o serviço da autarquia – cuja comunicação com o consumidor, como já dito aqui, é bem aquém do mínimo desejável –, custa muito ao americanense acreditar nas tais melhorias que o departamento diz fazer há um bom tempo. Restará para os próximos meses (ou anos) uma avaliação deste perrengue que o cidadão é obrigado a passar. Até lá, poderia a autarquia manter o mínimo de água necessário para o morador de Americana sobreviver. Do contrário, não seria espanto se a revolta tomasse proporções que vão além das críticas e dos impropérios em redes sociais.

O Liberal

Neste blog você encontra a opinião do Grupo Liberal de Comunicação, por meio dos textos editoriais publicados na edição impressa.