20 de outubro de 2020 Atualizado 23:45

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Compartilhe

Histórias de Americana

A educação é um substantivo feminino – parte II

Por Gabriela Simonetti Trevisan

12 jul 2020 às 08:23

Algumas edições atrás, tratamos sobre as professoras Delmira Marta de Oliveira, Dilecta Ceneviva Martinelli e Antonieta Ghizini Lenhare, educadoras fundamentais que marcaram a história da cidade de Americana, deixando o legado das práticas femininas no passado. Contudo, esse fundamental resgate ainda ecoa outros nomes a serem lembrados.

Olympia Barth de Oliveira nasceu em 1885 e foi das primeiras professoras mulheres do ensino oficial da cidade, tendo atuado como docente de 1904 a 1938. Era cunhada da já citada Delmira e esposa de seu irmão Silvino José de Oliveira, ambos também professores. Era descendente de confederados norte-americanos e atuou de forma filantrópica, organizando um posto de saúde para atendimento de vítimas da gripe espanhola na pandemia de 1918. Faleceu em 1966.

Jandira Basseto Pântano e Sebastiana Paié Rodella já pertenciam a uma geração posterior de professoras. A primeira nasce em 1916, em Villa Americana, e, em 1938, assume o cargo de professora no grupo escolar Dr. Heitor Penteado. Atuou no colégio por 30 anos, mas, mesmo após a aposentadoria, alfabetizou jovens e adultos de baixa renda em sua casa, até próximo de seu falecimento, em 1988.

A segunda, por sua vez, era natural da cidade de Iacri e, além de atuante como docente do ensino básico, foi educadora do ensino superior e ocupou cargos de coordenação e direção. Esposa do conhecido escritor João Rodella, diz-se que também escrevia suas poesias e ficções, ainda que não as tenha publicado. Faleceu em 1996, em Americana.

Essas três professoras são também homenageadas em prédios públicos: Olympia dá nome a um colégio estadual no bairro Ipiranga e Sebastiana nomeia outra escola no Parque da Liberdade. Já Jandira é hoje nome da Biblioteca Municipal de Americana, na Praça Comendador Müller.

É claro que este breve memorial de mulheres traz o nome de algumas poucas dentre as fundamentais para a história da educação de Americana até os dias atuais. Que elas continuem nos inspirando e fazendo da educação um substantivo feminino, construído sobre muita dedicação e persistência.

Por Gabriela Simonetti Trevisan
Membro do grupo Historiadores Independentes de Carioba, dedicado à pesquisa histórica sobre Americana

Historiadores de Carioba

Blog abastecido pelo grupo Historiadores Independentes de Carioba, que se dedica à pesquisa histórica sobre Americana.