13 de janeiro de 2022 Atualizado 22:53

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

ECONOMIA

Após aumento da Petrobras, litro da gasolina passa de R$ 6 em Americana

Após reajuste de 7,2% no preço da gasolina, sindicato alerta para alta do etanol e em novembro, alta do diesel

Por Pedro Heiderich

23 out 2021 às 08:38

Preços dos combustíveis não param de subir em Americana - Foto: Ernesto Rodrigues - O Liberal.JPG

Após aumento da Petrobras há duas semanas, o litro da gasolina passou dos R$ 6 em Americana. O LIBERAL apurou com postos de combustíveis da cidade que o preço nas bombas deve subir nas próximas semanas.

Receba as notícias do LIBERAL no WhatsApp

O sindicato dos donos de postos da região alerta ainda para alta crescente do etanol e afirma que haverá elevação do diesel em novembro.

A reportagem encontrou locais na Vila Israel e no Jardim Helena vendendo o litro da gasolina a R$ 5,99. Em um posto na Avenida Brasil o combustível chega a R$ 6,09 o litro, assim como na Avenida Cillos – este último já vende o litro do etanol a R$ 4,79.

O reajuste médio de 7,2% para a gasolina e o GLP (gás de cozinha) nas refinarias em 9 de outubro foi apontado como a causa da escalada.

Com o aumento, o preço médio do litro da gasolina saindo das refinarias saltou de R$ 2,78 para R$ 2,98. Em alguns lugares do país, como em Bagé (RS), postos vendem o litro da gasolina por mais de R$ 7.

Conforme levantamento de preços da ANP (Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis) da semana passada, em Americana a média do preço da gasolina era de R$ 5,93.

Já o etanol, segundo o levantamento de 12 a 16 de outubro, é comercializado nos postos da cidade em média a R$ 4,58, e o diesel a R$ 5,04. O gás de cozinha já atingiu até R$ 108.

CENÁRIO. Flávio Campos, presidente do Recap (Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo de Campinas e Região) destaca que há defasagem dos preços da Petrobras em relação aos preços internacionais. “Podemos ter uma surpresa a qualquer hora”.

Ele cita a alta do etanol, que compõe a gasolina em 27%. “O etanol vem subindo muito nas últimas semanas, devido aos baixos estoques em função da quebra da safra por falta de chuvas”.

Por fim, outro combustível também deve aumentar, o diesel. “Temos um quadro para novembro que a produção nacional de diesel não vai atender o mercado interno, haverá um aumento de diesel importado já com um custo maior que o da Petrobras”, aponta.

Publicidade