Parlamentares criticam comportamento de Bolsonaro


Parlamentares de partidos de direita e de centro criticaram a atitude do presidente Jair Bolsonaro neste domingo. Ele participou da manifestação pró-governo em Brasília e interagiu com manifestantes.

O líder do Solidariedade na Câmara, Zé Silva (MG), disse que “muito mais importante do que a gente fala é o que faz”. A presidente da Comissão de Cidadania e Justiça (CCJ) do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), também foi sucinta nas palavras. Ela disse apenas que deixa “a fotografia e história falarem por si”.

A líder do PSL na Câmara, ex-partido de Bolsonaro, Joice Hasselmann (SP), disse que a atitude de Bolsonaro é incompreensível. “Não dá pra entender o comportamento irracional do presidente”, disse. “Ou é maluquice ou irresponsabilidade. Nem Freud explica”, afirmou.

O líder do PSD no Senado, Otto Alencar (BA), classificou o comportamento do presidente como o de um “bufão”. “Uma palhaçada com uma coisa tão grave como essa”, disse. Alencar, que é médico e ex-secretário de Saúde na Bahia, disse que irá encaminhar um pedido aos presidentes do Senado e da Câmara amanhã pedindo que os R$ 30 bilhões de emendas, os quais a gestão ainda é disputada entre Congresso e Executivo, sejam destinados à saúde para combater o avanço do coronavírus.

O líder do MDB no Senado, Eduardo Braga (AM), também fez críticas. “Não ajuda neste momento que nós estamos vivendo tantos desafios”, disse. O emedebista, no entanto, afirmou que a manifestação não altera a relação entre Executivo e Legislativo. “Ele (o presidente) tem um estilo. A essa altura, o Congresso já sabe o que esperar. Acho que não muda nada, não.”

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora