17 de junho de 2024 Atualizado 16:58

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Brasil e Mundo

Boulos diz que governo Lula falha na comunicação e que conversou sobre o assunto com presidente

Por Agência Estado

06 de junho de 2024, às 20h36 • Última atualização em 07 de junho de 2024, às 09h32

Pré-candidato à Prefeitura de São Paulo, o deputado federal Guilherme Boulos (PSOL) apontou problemas na comunicação do governo federal como a principal causa da queda na aprovação do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Segundo Boulos, a gestão petista enfrenta dificuldades para comunicar suas realizações e combater notícias falsas nas redes sociais.

De acordo com pesquisa Datafolha divulgada em 30 de maio, a aprovação de Lula na capital paulista caiu de 45% em agosto de 2023 para 35% em maio deste ano. No mesmo período, a reprovação subiu de 25% para 34%. Tendências similares são observadas em outras pesquisas de opinião em nível nacional.

Apoiado por Lula na disputa pela Prefeitura de São Paulo, Boulos vê a popularidade do presidente como um trunfo eleitoral. Na eleição geral de 2022, Lula venceu Jair Bolsonaro (PL) na capital paulista com 53,54% dos votos contra 46,46%. Boulos utiliza essa vantagem como argumento em favor de sua candidatura, especialmente pelo fato de que Bolsonaro apoia seu principal adversário, o atual prefeito Ricardo Nunes (MDB).

Em sabatina realizada pela Reag Investimentos e o canal MyNews, Boulos afirmou ter discutido a queda na aprovação de Lula com o presidente. “O governo do presidente Lula tomou uma série de medidas nesse um ano e meio”, disse, mencionando o baixo nível de desemprego e o PIB acima das expectativas do mercado como exemplos de realizações do governo.

Boulos destacou que a comunicação é um problema reconhecido pelo governo, que está buscando soluções. “Mudou a forma de comunicação em relação ao primeiro governo Lula”, comentou, ressaltando a necessidade de tornar a comunicação mais ágil e direta.

Ele citou como exemplo a crise no Rio Grande do Sul, para onde o governo federal liberou R$ 51 bilhões em várias medidas de socorro, incluindo R$ 5,1 mil para cada família atingida. No entanto, Boulos culpou a disseminação de notícias falsas que, segundo ele, prejudicam a percepção pública dessas ações. “A fake news tem uma rapidez e uma capacidade de se expressar que impacta na aprovação do governo”, avaliou.

Boulos afirmou ainda que o governo está implementando medidas para melhorar sua comunicação e capacidade de combater notícias falsas. “O presidente já tomou e está tomando uma série de medidas que acho que vão melhorar muito a capacidade de rebater as fake news”, concluiu.

Publicidade