15 de junho de 2024 Atualizado 17:54

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Mundo

Reino Unido: debate entre Sunak e Starmer não tem vencedor; trabalhistas lideram pesquisas

Por Agência Estado

04 de junho de 2024, às 21h56

Os dois principais candidatos à presidência do Reino Unido – o líder conservador Rishi Sunak e o trabalhista Keir Starmer – discutiram nesta terça, 4, sobre os impostos, o custo de vida e o frágil sistema de saúde do país, em um debate televisivo antes das eleições, em 4 de julho.

Sunak esperava aumentar a perspectiva do seu partido, enquanto o trabalhista Keir Starmer pretendia consolidar o seu estatuto de favorito. Ambos reconheceram os muitos problemas do país, desde a deterioração dos serviços públicos até um sistema de imigração falido. Mas nenhum dos dois soube dizer abertamente, quando questionado, onde encontraria o dinheiro para consertá-los.

Sunak enfatizou a sua gestão da economia, que viu a inflação cair para pouco mais de 2%, desde um pico de mais de 11% no final de 2022. Ele disse que deveria permanecer como líder porque o seu “plano claro” para a economia estava dando certo. Starmer disse que a eleição é uma escolha entre mais “caos e divisão” com os conservadores ou “virar a página e reconstruir com os trabalhistas”.

As pesquisas atualmente dão ao Partido Trabalhista, de centro-esquerda, uma vantagem de dois dígitos. Para vencer, Starmer deve persuadir os eleitores que anteriormente apoiaram os conservadores de que se pode confiar nos trabalhistas a economia, as fronteiras e a segurança do Reino Unido.

Todos os 650 assentos na Câmara dos Comuns estarão em disputa no dia 4 de julho. O líder do partido que conseguir obter a maioria – sozinho ou em coligação – será o primeiro-ministro.

O debate ocorreu um dia depois do populista Nigel Farage ter agitado a campanha e anunciar que concorrerá ao Parlamento à frente do partido de direita Reform UK. Farage era esperado para declarar apoio em Sunak.

O regresso de Farage, um ator-chave na decisão britânica de deixar a União Europeia em 2016, é uma má notícia para o partido de Sunak. Seu partido provavelmente desviará os votos dos eleitores mais velhos, socialmente conservadores.

Publicidade