27 de fevereiro de 2024 Atualizado 11:06

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Mundo

Pentágono confirma ataques contra navio de guerra e embarcações comerciais no Mar Vermelho

Por Agência Estado

03 de dezembro de 2023, às 14h31 • Última atualização em 03 de dezembro de 2023, às 16h11

Sede do Departamento de Defesa dos Estados Unidos, o Pentágono informou que um navio de guerra do país – nomeado como USS Carney – e “várias” embarcações comerciais foram atacados no Mar Vermelho. O ataque teria começado por volta das 10h em Sanaa, Iêmen (4h em Brasília), e durado cerca de cinco horas, marcando uma escalada significativa em uma série de conflitos marítimos no Oriente Médio relacionados à guerra entre Israel e Hamas.

O Pentágono declarou estar ciente dos relatos sobre os ataques ao USS Carney e a embarcações comerciais e disse que fornecerá mais informações conforme estiverem disponíveis.

Anteriormente, um porta-voz militar britânico mencionou um ataque de drone suspeito e explosões no Mar Vermelho, sem fornecer detalhes. Embora não se tenha identificado a origem, rebeldes houthis apoiados pelo Irã no Iêmen têm realizado ataques no Mar Vermelho. Até o momento, não houve comentários imediatos do grupo. No entanto, um porta-voz militar houthi afirmou que um comunicado “importante” seria divulgado em breve.

O setor de transporte marítimo tem sido um alvo cada vez mais frequente à medida que a guerra entre Israel e o Hamas ameaça se expandir para um conflito regional mais amplo. No início de novembro, os houthis apreenderam um navio de transporte de veículos vinculado a Israel no Mar Vermelho, perto do Iêmen. Os rebeldes ainda mantêm a embarcação perto da cidade portuária de Hodeida. Além disso, mísseis atingiram uma área perto da localização de outro navio de guerra dos EUA na semana passada, depois que a embarcação ajudou um navio vinculado a Israel que havia sido brevemente apreendido por homens armados.

Os houthis não tinham como alvo diretamente os americanos há algum tempo, o que aumenta ainda mais as apostas no avanço dos conflitos marítimos. Em 2016, os EUA lançaram mísseis de cruzeiro Tomahawk que destruíram três locais de radar costeiros em território controlado pelos houthis em retaliação aos mísseis disparados contra navios da Marinha dos EUA, incluindo o USS Mason, na época.

Publicidade