19 de setembro de 2020 Atualizado 19:17

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Mundo

Manifestantes voltam às ruas contra líderes iranianos em 2º dia de protestos

Por Agência Estado

12 jan 2020 às 14:30 • Última atualização 12 jan 2020 às 15:13

Protestos se espalharam neste domingo ao redor do Irã pelo segundo dia, aumentando a pressão sobre os líderes do país, depois que as forças militares admitiram que derrubaram por engano um avião ucraniano no momento em que Teerã temia ataques aéreos dos Estados Unidos.

“Eles estão mentindo que o nosso inimigo é a América, nosso inimigo está aqui”, gritava um grupo de manifestantes do lado de fora de uma universidade em Teerã, segundo vídeos publicados no Twitter. Dezenas de manifestantes foram mostrados do lado de fora de outra universidade na capital e em protestos em outras cidades.

Alguns veículos de imprensa também relataram protestos em universidades, depois das manifestações de sábado, motivadas pelo anúncio do Irã de que suas forças militares haviam equivocadamente derrubado o avião ucraniano na quarta-feira, matando todas as 176 pessoas a bordo.

Moradores do Irã disseram à Reuters que a polícia estava com forte presença nas ruas da capital neste domingo, enquanto cresce a irritação da população após dias de negativas de culpa por parte das autoridades, mesmo após Canadá e Estados Unidos afirmaram que um míssil havia derrubado o avião.

No sábado, a polícia lançou gás lacrimogêneo em milhares de manifestantes na capital, onde muitos cantaram “Morte ao ditador”, direcionando a raiva ao líder supremo da República Islâmica, o aiatolá Ali Khamenei.

“Peça desculpas e renuncie”, escreveu o jornal moderado iraniano Etemad, em sua manchete, no domingo, dizendo que a “exigência do povo” era a renúncia dos responsáveis pela má condução da crise do avião.

A nova escalada de raiva é mais um desafio para as autoridades, que lançaram uma sangrenta repressão a protestos em novembro. Os líderes também estão sofrendo para manter o bom andamento da economia devido a rigorosas sanções impostas pelos Estados Unidos.

O presidente dos EUA, Donald Trump tuitou: “Aos líderes do Irã – não matem seus manifestantes. Milhares já foram mortos ou presos por vocês, e o mundo está observando”.

O avião da Ukraine International Airlines foi derrubado minutos após levantar voo de Teerã, na quarta-feira, quando forças iranianas estavam sob alerta para represálias dos EUA após ataques de ambos os lados. Muitos a bordo eram iranianos com dupla nacionalidade, e 57 tinham passaportes canadenses.

O presidente iraniano, Hassan Rouhani, afirmou que foi um “erro desastroso” e pediu desculpas. Mas um importante comandante da Guarda Revolucionária contribuiu para a fúria do público ao dizer que havia dito às autoridades no mesmo dia da queda que um míssil iraniano havia atingido o avião. /REUTERS

Publicidade