23 de abril de 2024 Atualizado 17:35

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Brasil e Mundo

Estudante de 12 anos abre fogo em escola da Finlândia e mata colega

Por Agência Estado

02 de abril de 2024, às 13h51

Um menino de 12 anos morreu e outros dois ficaram gravemente feridos nesta terça-feira, 2, quando um colega de aula, também de 12 anos, abriu fogo em uma escola de ensino fundamental nos arredores da capital da Finlândia, Helsinque, informou a polícia.

“Hoje, pouco depois das 9h (3h no horário de Brasília), ocorreu um ataque a tiros em uma escola (…) no qual morreu um aluno da sexta série”, disse Ilkka Koskimaki, chefe de polícia da região, em entrevista coletiva. Ele acrescentou que outros dois menores ficaram “gravemente feridos”.

O ataque ocorreu em uma escola de ensino fundamental da cidade de Vantaa, que tem quase 800 alunos, dos 7 aos 15 anos, segundo o seu site. A polícia chegou ao local logo após o ataque e a escola foi cercada.

O suspeito foi detido menos de uma hora após os disparos com uma arma em sua posse, disse a polícia. Ele admitiu ter atirado em uma audiência policial inicial, mas não há informações imediatas sobre o motivo, disse a polícia, acrescentando que o caso está sendo investigado como homicídio e duas tentativas de homicídio. A arma usada foi uma pistola licenciada para um parente do suspeito, disse o detetive Kimmo Hyvärinen.

O presidente finlandês, Alexander Stubb, e o primeiro-ministro, Petteri Orpo, ofereceram condolências às famílias das vítimas em postagens no X, ambos dizendo que ficaram chocados com o tiroteio.

“O que torna tudo particularmente chocante é a idade da vítima e do suspeito”, disse Orpo durante entrevista coletiva na terça-feira. “Posso garantir que este (crime) será cuidadosamente revisado e serão tiradas providências para que isso não aconteça novamente.”

A idade mínima de responsabilidade criminal na Finlândia é de 15 anos, o que significa que o suspeito não pode ser formalmente preso. Um suspeito com menos de 15 anos só pode ser ouvido pela polícia e ser entregue às autoridades de bem-estar infantil da Finlândia. (Com agências internacionais).

Publicidade