27 de fevereiro de 2021 Atualizado 11:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Mundo

Especulação de “day traders” pode ser resultado de revolta com desigualdade

Por Agência Estado

30 jan 2021 às 16:02 • Última atualização 30 jan 2021 às 16:53

A frustração e a raiva de uma geração de jovens com o aumento das desigualdades financeiras na economia norte-americana, agravada pela crise da covid-19, seriam as explicações para o ataque dos chamados “day traders”, nos últimos dias, contra Wall Street. Um movimento especulativo elevou as ações de empresas destinadas à falência, como a GameStop, por exemplo. Quase uma década depois que o movimento de protesto “Ocupar Wall Street” foi encerrado com poucos resultados, a “cidadela do poder financeiro enfrenta um novo ataque”, apontam estudiosos.

Os day traders, mobilizados em uma sala de bate-papo da rede social Reddit, despejaram todo o dinheiro que puderam na compra de ações da varejista de videogames em dificuldades(GameStop) e também de algumas outras empresas consideradas pelo mercado como derrotadas. A compra deles inflou os preços das ações dessas empresas além do que poderia se imaginar – e, não por coincidência, infligiu enormes perdas aos fundos de hedge dos super-ricos, que apostaram na queda das ações.

A raiva e o ímpeto obstinado de escolher financistas poderosos de Wall Street causaram arrepios nos investidores comuns e aumentaram os temores sobre a fragilidade dos mercados em geral, após um período prolongado de ganhos de ações alimentados por taxas de juros baixíssimas. Esses temores apenas fizeram com que o índice S&P 500 sofresse sua pior semana de perdas desde outubro.

De acordo com o World Inequality Database, dirigido por Emmanuel Saez e Gabriel Zucman, economistas da Universidade da Califórnia, Berkeley, 1% dos americanos mais ricos embolsaram mais lucros, cerca de 19%, antes do desconto dos impostos, em 2019, na comparação com menos de 11% em quatro décadas anteriores.

O economista da Universidade de Nova York, Edward Wolff, descobriu que os 10% dos americanos mais ricos dominam cerca de 85% do mercado acionário.

A crise financeira que desencadeou a Grande Recessão de 2007 a 2009 intensificou o ressentimento contra os banqueiros que financiaram os empréstimos, considerados duvidosos, por trás da catástrofe e ignoraram os riscos óbvios, apontam os críticos de Wall Street. E foi o aumento dessa indignação que alimentou o movimento “Occupy” em 2011, quando os manifestantes tomaram o Zuccotti Park de Nova York e outros espaços públicos e exigiram reformas financeiras de longo alcance. Mas essas reformas, em sua maioria, não aconteceram.

O coronavírus causou mais dor, achatando a economia e fazendo com que mais de 20 milhões de americanos perdessem empregos, apontam novos estudos. Um deles, o relatório do grupo antipobreza Oxfam, apontou que os 10 homens mais ricos do mundo aumentaram a riqueza em US $ 500 bilhões desde o início da pandemia em março. Nesse ínterim, quase 10 milhões de pessoas que perderam o emprego devido à pandemia continuam desempregadas.

O alvo escolhido pelos day traders do Reddit, o mercado acionário, há muito tempo é o principal símbolo de riqueza arraigada na América. Mas a tecnologia, incluindo fóruns como o Reddit, tornou cada vez mais fácil, rápido e simples para os “prejudicados” se mobilizarem, trocando informações e traçando estratégias coletivas eficientes. E os aplicativos de comércio eletrônico, principalmente o Robinhood, permitem que comerciantes amadores comprem ações sem comissões, ao alcance de um clique.

Eles identificaram uma vulnerabilidade no mercado: o chamado “short Squeeze”. Quando os fundos de hedge e outros investidores querem apostar que o preço das ações vai cair, eles chegam com tudo e alteram essa dinâmica.

Contudo, algumas das empresas de Wall Street que são alvos dos Redditers realmente lucram com a própria volatilidade que o ataque dos Redditers gerou. E os traders profissionais mais sofisticados estão, sem dúvida, calculando como capitalizar no caos.

Publicidade