03 de dezembro de 2021 Atualizado 22:00

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

Todos os 9 grupos pesquisados tiveram alta de preços no IPCA-15 de novembro

Por Agência Estado

25 nov 2021 às 11:47 • Última atualização 25 nov 2021 às 13:35

A alta de 1,17% na prévia da inflação oficial em novembro foi decorrente de aumentos em todos os nove grupos de produtos e serviços que integram o Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Os avanços de preços ocorreram em Transportes (2,89%), Habitação (1,06%), Alimentação e bebidas (0,40%), Vestuário (1,59%), Educação (0,01%), Comunicação (0,32%), Artigos de residência (1,53%), Despesas pessoais (0,61%) e Saúde e cuidados pessoais (0,80%).

O resultado do grupo Saúde e cuidados pessoais foi impulsionado pelos itens higiene pessoal (1,65%) e produtos farmacêuticos (1,13%).

Em Vestuário, todos os itens pesquisados tiveram aumento de preços, com destaque para as roupas femininas (2,05%), masculinas (1,88%) e infantis (1,30%), além dos calçados e acessórios (1,28%). O grupo acumula uma alta de 8,64% no ano, enquanto o acumulado de janeiro a novembro de 2020 foi de um recuo de 1,31%.

O resultado geral do IPCA-15 em novembro foi decorrente de aumentos de preços em todas as 11 regiões pesquisadas.

A alta mais branda ocorreu em Belém (0,76%), enquanto a maior variação foi registrada em Goiânia (1,86%). Sete regiões acumulam alta de preços de dois dígitos nos últimos 12 meses: Curitiba (13,69%), Porto Alegre (12,33%), Belo Horizonte (10,55%), Recife (11,30%), Fortaleza (11,90%), Goiânia (11,09%) e Salvador (10,73%).

Publicidade