Dicas práticas para sair das dívidas e alcançar objetivos

Conceitos e condutas simples orientam na administração saudável das finanças


Não é novidade para ninguém que o orçamento começa a desandar quando os gastos superam os ganhos de uma pessoa. Nem que haverá um acúmulo e a dívida será insuportável se alguma providência como a redução de despesas ou aumento de receitas não for tomada. O mais difícil acaba sendo colocar tudo isso em prática.

A Par Mais, empresa de investimento financeiro que desenvolve programas para ajudar o consumidor a mudar a forma como se relaciona com o dinheiro, adotando hábitos para gastar com consciência, formulou um passo a passo, com conceitos e condutas simples que orientam na administração saudável das finanças.

Foto: Divulgação
O orçamento e o controle financeiro são ótimas ferramentas para o entendimento de onde vem e para onde vai o seu dinheiro, que permita gastar melhor e concretizar os objetivos financeiros de cada um

Esse manual, elaborado por Jailon Giacomelli, planejador financeiro da Par Mais, começa explicando que o orçamento (estimativa de entrada e saída de dinheiro) e o controle financeiro (controle de despesas) são ótimas ferramentas para o entendimento de onde vem e para onde vai o seu dinheiro, que permita gastar melhor e concretizar os objetivos financeiros de cada um.

FORMAS DE ORÇAMENTO
Pode ser feito de qualquer forma, da mais simples com papel e caneta, até por meio digital com o uso de uma planilha de Excel para facilitar. E o controle financeiro deve ser feito também em planilhas ou em aplicativos disponíveis até em celular.

Passo 1 – Objetivos

É fundamental fixar objetivos para que o processo seja mais eficiente. Para que o dinheiro será controlado, para pagar as dívidas, para fazer uma viagem? Um casamento? Comprar o imóvel próprio? Viver de renda na aposentadoria? Para alcançá-los é preciso ter clareza sobre o que você quer, quando quer conquistar e quanto custa. Com um objetivo claro em mente, adiar o consumo é menos doloroso e cria um ciclo positivo para as suas finanças pessoais.

E aí vão algumas dicas: se você não conseguir poupar o valor suficiente para atingir seu objetivo, deve tentar rever as suas despesas mensais para poupar mais, ou aumentar sua renda (com freelancer, por exemplo). Ou esticar um pouco o prazo para chegar lá, assim será preciso poupar menos por mês. Ou, ainda, reduzir o valor do seu objetivo, mantendo o mesmo prazo.

Quem tiver dívidas com cheque especial ou cartão de crédito, resolva esse problema antes de pensar no próximo objetivo financeiro. Busque imediatamente uma linha de crédito mais barata para quitar essa dívida, lembrando de manter uma parcela que caiba no seu bolso.

Passo 2 – Orçamento

A primeira tarefa para um bom orçamento é a identificação de todas as rendas e despesas da família. Lembre-se de que tudo deve ser listado para que os valores fiquem o mais próximo possível da realidade.

Inclua as rendas que entram todo mês – estime o valor mensal: salário líquido, pensões, aposentadoria, aluguéis etc. E as rendas que entram de vez em quando – estime o valor anual e divida por 12 para saber a média mensal: 13º salário (no caso celetistas), adicional de férias, comissões, rendas como freelancer, restituição de IR etc.

Em relação às despesas, identifique as que são rotineiras, como aluguel, condomínio, água, luz, telefone, escola, transporte, alimentação, salários de empregados domésticos, farmácia, academia, TV a cabo, plano de saúde, seguros.

E as que acontecem uma ou poucas vezes no ano, mas têm valor mais significativo no seu orçamento, como viagens, troca de carro, reformas na casa, festa de casamento, compra de objetos caros (uma joia, um notebook ou um celular, por exemplo) etc.

Passo 3 – Controle financeiro

Para ser realmente o dono do seu dinheiro e atingir seus objetivos financeiros, é fundamental fazer controle financeiro mensal. Pelo menos uma vez ao mês, é preciso lançar seus extratos de conta corrente e cartões de crédito em uma planilha ou aplicativo, categorizar as despesas de acordo com sua realidade (utilize os mesmos itens que definiu no seu orçamento) e analisar os resultados para ver se você está dentro ou fora do planejado.

Não existe uma regra, mas se preferir você pode fazer o lançamento das despesas todos os dias, ou uma vez por semana, por exemplo. Você precisará anotar todos os gastos em dinheiro (papel moeda), pois esse movimento não fica registrado nos extratos de conta ou cartão. Até criar o hábito, essa tarefa será bem desafiadora, mas depois será como pagar as contas do mês – entrará na sua rotina.

Passo 4 – Análise do controle

É a etapa mais importante do controle financeiro. De nada adianta organizar as contas, lançar na planilha ou aplicativo e organizar em categorias se você não parar para refletir sobre os resultados e tomar providências, quando necessário

Passo 5 – Investimentos

Depois de todo esse esforço para guardar dinheiro, nada mais justo do que aplicá-lo no melhor investimento! E o melhor investimento é o mais adequado ao seu objetivo. Para isso, é importante analisar, além do perfil de risco, o seu atual momento de vida e a sua capacidade financeira e patrimonial.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora