Ajuda para economizar em compras de supermercado

A maioria dos consumidores já faz uma ginástica danada para economizar nas compras, sobretudo de produtos alimentícios, e algumas dicas podem ajudar


A perda de renda provocada pela aceleração da inflação desde junho, embora a alta de preços dos produtos seja considerada transitória, vai exigir aperto maior em gastos com consumo, principalmente em supermercados, um dos que mais pesam no orçamento dos brasileiros.

A maioria dos consumidores já faz uma ginástica danada para economizar nas compras, sobretudo de produtos alimentícios. Mas, ainda assim, sente que precisa cada vez mais de dinheiro para levar a mesma quantidade de produtos para casa. Ou, então, reduzir itens, trocar marcas, procurar locais com preços mais acessíveis para não estourar o orçamento. Mas existem outras maneiras e mudanças de hábito que ajudam a economizar.

Foto: Adobe Stock
Algumas dicas podem te ajudar na hora das compras no supermercado

Ajuda como primeiro passo no caminho da economia fazer uma lista do que vai comprar, saber quanto poderá gastar, escolher a loja que melhor atende às suas necessidades e ter atenção com os produtos. Ter uma lista pronta ao sair de casa poderá ser útil por vários motivos. Ajuda a não comprar mais do que precisa, não gastar mais do que seu bolso permite, evita a compra por impulso.

Definir quanto poderá gastar, sem ultrapassar o limite, também torna o consumo mais consciente, porque ajuda a distinguir e separar o que é indispensável, como os produtos de primeira necessidade, e o que são produtos supérfluos.

Importante ainda é ter ideia de preço das mercadorias. Meios não faltam, como as propagandas na televisão, jornal e internet. Compare também os preços cobrados em diferentes mercados e use uma calculadora ou o celular para registrar os gastos enquanto faz as compras. São atitudes que podem redundar em boa economia de dinheiro e tempo

ONDE COMPRAR

A escolha do mercado é importante tanto no aspecto financeiro como de praticidade e qualidade dos produtos. Preço deve sempre ser pesquisado, porque varia muito de um mercado para outro. Quem abre mão de conforto, luxo nas instalações, atendimento com empacotadores, entrega de sacolinhas para embalar as mercadorias tem a possibilidade de encontrar produtos bem mais baratos em lojas mais simples.

O mesmo acontece nos estabelecimentos que vendem pelo atacado, que oferecem os produtos por preços bem mais baixos. Há duas questões a serem consideradas em relação ao atacadão: às vezes a quantidade oferecida nos pacotes é superior às suas necessidades, e aí vai valer a pena comprar em conjunto com parentes e vizinhos. Em geral, a localização dessas lojas fica longe dos centros, em vias marginais e saídas para estradas.

Portanto, considere custos com combustível, tempo de deslocamento para ver se compensa. Em alguns casos, vai valer a pena comprar na esquina de casa, na quantidade que deseja e precisa, mesmo que pague um pouco mais caro. Seja onde for, aproveite sempre as promoções se compensarem e houver necessidade da mercadoria. Tom Morooka_Agência Estado

Atenção aos produtos

Não deixe de verificar data de validade e aparência do produto

Ter uma atenção especial com os produtos também faz parte do ritual de boas compras. Pode ser que você esteja acostumado e leve sempre produtos de determinada marca ainda que sejam mais caros.

Experimente mercadorias diferentes e mais em conta, você poderá ficar também satisfeito com a troca.
Algumas redes de supermercado desenvolveram produtos da “marca própria” que costumam ser mais baratos do que os de etiquetas famosas. Saiba que os de marca própria, muitas vezes, são fornecidos pelo mesmo fabricante das grandes marcas.

Não deixe de verificar data de validade e aparência do produto ou embalagem, assim como o peso e a quantidade. Veja se o preço anunciado na gôndola é o mesmo cobrado pela caixa. Peça sempre a nota fiscal, porque para qualquer troca ou reclamação você terá de apresentar o ticket de compra.

Pesquisas mostram que ir alimentado ao supermercado e deixar as crianças em casa também podem gerar economia no total gasto. Aí depende da cultura de cada família, pois há quem defenda que as crianças devem ir sim ao supermercado para aprender a comprar e a economizar.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora