19 de junho de 2024 Atualizado 10:56

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

Resultado do PIB é caminho para um crescimento sustentável, diz secretário do Tesouro

Por Agência Estado

04 de junho de 2024, às 18h48

O secretário do Tesouro Nacional, Rogério Ceron, classificou nesta terça-feira, 4, que a composição do PIB no primeiro trimestre aponta para um “crescimento sustentável” do País. “Foi um resultado bom, composição boa, com formação bruta de capital fixo FBCF recuperando, esse é o caminho para um crescimento sustentável, é o PIB do crescimento sustentável”, disse o secretário a jornalistas ao deixar uma audiência pública na Câmara dos Deputados sobre a dívida do Estado do Rio de Janeiro com a União.

Mais cedo, Ceron já havia comentado ao Broadcast (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) sua avaliação positiva sobre o dado do PIB, destacando a recuperação dos investimentos. A FBCF subiu 4,1% no primeiro trimestre deste ano ante o quarto trimestre de 2023. No geral, a economia avançou 0,8% nos primeiros três meses do ano em comparação ao último trimestre do ano passado.

“O resultado é consistente com o que estamos construindo, com processo de recuperação dos investimentos, da recuperação da indústria, assim vamos para frente”, disse o secretário do Tesouro.

No caso da indústria, houve recuo de 0,1% na margem, com desaceleração ante a expansão de 1,2% no 4º trimestre de 2023. Já a variação interanual desacelerou de 2,9% nos últimos três meses do ano passado para 2,8% no primeiro trimestre deste ano.

Na avaliação da Secretaria de Política Econômica da Fazenda (SPE), essa desaceleração repercutiu o menor ritmo de expansão da indústria extrativa e da produção de eletricidade e gás. Em contrapartida, houve uma aceleração na indústria de transformação e construção.

“O avanço na indústria de transformação está relacionado ao crescimento na produção de bens intermediários e à queda menos acentuada na produção de bens de capital na passagem dos trimestres e repercute o cenário menos restritivo de juros e crédito”, afirmou nesta terça-feira a SPE.

Publicidade