16 de abril de 2021 Atualizado 11:37

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

Ibovespa tem instabilidade com aversão a risco no exterior e cautela doméstica

Por Agência Estado

29 mar 2021 às 10:58 • Última atualização 29 mar 2021 às 12:00

O Índice Bovespa mostra instabilidade nesta primeira hora de negociação, dividido entre o bom desempenho de ações de empresas ligadas a commodities e a fraqueza de papéis do setor financeiro. Pesa positivamente a alta de mais de 4% do preço do minério de ferro na China, mas em Nova York abriram em baixa, com temores de fragilidade do setor financeiro em meio a movimentações bilionárias de um fundo ao se desfazer de posições.

No cenário doméstico, o clima é de cautela com a percepção de crescente aumento de pressões sobre o governo.

Em meio à aversão ao risco no mercado internacional e ao desconforto com questões sanitárias e fiscais no ambiente doméstico, o dólar encosta nos R$ 5,80, o que aumenta a cautela na Bolsa.

Instáveis nesta manhã, os contratos futuros de petróleo voltaram a cair em meio à aversão a risco em Nova York, influenciada por alertas de bancos sobre possíveis prejuízos financeiros.

Além disso, investidores continuam monitorando o processo de desencalhe do navio Ever Given no Canal de Suez.

Na China, o lucro industrial disparou 179% no primeiro bimestre do ano, na comparação anual, informou o Escritório Nacional de Estatísticas (NBS, na sigla em inglês). O salto vem em meio à recuperação da economia local após a crise da covid-19.

Às 10h44, o Ibovespa tinha alta de 0,08%, aos 114.876,80 pontos. Vale ON subia 2,07% e CSN ON, 2,19%. Já entre os bancos a queda era generalizada, com destaque para as units do Santander Brasil, que perdiam 1,47%.

Publicidade