15 de junho de 2024 Atualizado 17:54

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Brasil e Mundo

Fluxo de veículos em estradas pedagiadas cai 0,6% em maio ante abril

Por Agência Estado

10 de junho de 2024, às 11h07

O fluxo total de veículos em estradas com pedágio caiu 0,6% na passagem de abril para maio, na série com ajuste sazonal, informaram a Associação Brasileira de Concessionárias de Rodovias (ABCR) e a Tendências Consultoria Integrada. Na abertura, o fluxo de veículos pesados caiu 5,0% e o de leves avançou 0,3%.

Na comparação com maio de 2023, o fluxo total de veículos cresceu 2,6%, puxado pelo avanço de 3,3% de veículos leves. Nos pesados, houve aumento de 0,4%.

Nos últimos 12 meses, o índice total acumula crescimento de 4,9%.

“O fluxo de pesados mostrou a maior queda desde abril de 2020 na série livre de efeitos sazonais. O resultado é reflexo da normalização do efeito positivo atípico gerado pelo calendário no mês passado, que contou com maior quantidade de dias úteis, favorecendo a demanda de tráfego para atividades econômicas e logísticas. Adicionalmente, em menor medida, os dados mostraram limitações advindas do baixo fluxo de veículos pesados nas praças situadas no Rio Grande do Sul, o que está associado ao desastre climático que impacta negativamente o Estado desde meados do mês passado”, ressaltam os analistas da Tendências Consultoria, Thiago Xavier e Davi Gonçalves.

Estados

O fluxo total de veículos em rodovias com pedágio em São Paulo caiu 0,2% entre abril e maio, em dados dessazonalizados, de acordo com a ABCR. O segmento de pesados recuou 3,6%, enquanto o fluxo de veículos leves teve alta de 0,8% no período.

Em relação a igual mês de 2023, o índice total em São Paulo cresceu 3,6%, com avanço de 1,1% em pesados e de 4,4% em leves.

No Rio de Janeiro, o fluxo total subiu 2,0% na margem em maio, com alta de 3,0% no de leves e de 0,6% em pesados.

Na comparação interanual, o fluxo de veículos no Rio de Janeiro subiu 3,6% em maio, com alta de 3,5% de leves e 4,8% de pesados.

Publicidade