23 de abril de 2024 Atualizado 17:35

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Brasil e Mundo

Desigualdade de renda hoje está no mesmo nível do século passado, diz Tatiana Rosito, no G20

Por Agência Estado

28 de fevereiro de 2024, às 15h10

As autoridades reunidas na 1ª Reunião de Ministros de Finanças e Presidentes de Bancos Centrais do G20 Brasil discutirão as desigualdades e suas implicações para as políticas macroeconômicas no primeiro painel do evento, que ocorre na manhã desta quarta-feira, 28. A abertura será feita pelo ministro Fernando Haddad, que participa virtualmente porque contraiu covid-19 e está em recuperação.

“As desigualdades cresceram muito nas últimas duas décadas e estão no mesmo nível do início do século 20. Vamos discutir a concentração de renda e as implicações para a economia. Trataremos não somente da desigualdade de riqueza, mas também de gênero e raça”, disse a coordenadora da Trilha de finanças do G20 Brasil e secretária de Assuntos Internacionais do Ministério da Fazenda, Tatiana Rosito.

Em briefing à imprensa, Rosito acrescentou que os grupos de trabalho da Trilha de Finanças analisarão também, nestes próximos dois dias de encontro, exemplos de políticas que têm sido bem sucedidas para tratar essas desigualdades. “Queremos ouvir dos ministros o peso que cada país dá para as desigualdades e as implicações em suas economias”, afirma, acrescentando que nas discussões os participantes devem apresentar sugestões de medidas para mitigar essas desigualdades.

Na segunda sessão do dia, ministros e presidentes de bancos centrais tratarão da economia global – crescimento e desenvolvimento – tema que é tradicional nos encontros do G20. Nessa etapa das discussões, como também já é de praxe, haverá a participação de membros de organismos internacionais como o Fundo Monetário Internacional (FMI) e o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Publicidade