17 de junho de 2021 Atualizado 00:01

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

Cinco dicas para ser um nômade digital

O conceito faz referência àqueles que estudam ou trabalham mas não possuem escritório ou sala de aula fixa

Por Redação

07 jun 2021 às 07:26

A pandemia e o isolamento social trouxeram mais mudanças do que se pode imaginar. Segundo alguns historiadores, esses fatores irão marcar o final da era tecnológica do século 20, onde entendemos os limites da tecnologia. Além disso, o ano de 2020 ficou marcado pelo êxodo urbano, devido à quantidade de pessoas que fizeram o movimento de se afastar dos grandes centros das cidades.

Nômades aproveitam a flexibilidade de trabalho e a possibilidade de atividades remotas para se desprender de escritórios e conduzir uma vida em lugares diversos – Foto: Imagem de StockSnap por Pixabay

Essa grande mudança foi consequência da possibilidade de trabalho em casa, o home office, que fez com que muitas pessoas olhassem para suas moradias de outra forma. Segundo um levantamento realizado pela Quinto Andar, empresa de aluguel de casas na cidade de São Paulo, as áreas consideradas foco na busca por aluguéis tiveram considerável queda em 2020, em contraste, algumas cidades como Diadema (56%), Campinas (20%) e Osasco (15%) cresceram na busca por espaços maiores.

Este êxodo foi o início de um outro conceito: os chamados nômades digitais. Essas pessoas aproveitam a flexibilidade de trabalho e a possibilidade de atividades remotas para se desprender de escritórios e conduzir uma vida em lugares diversos.

Mas se engana quem pensa que os nômades virtuais são pessoas que se dão o luxo de trabalhar fora de casa. Muitos ainda estudam, e isso só é possível graças ao ensino à distância.

Para ajudar você, a se tornar um nômade digital, Leiza Oliveira, CEO da Minds Idiomas e especialista em carreiras cita 5 dicas de como conseguir se tonar um nômade digital:

1. Pesquise sobre empresas que são adeptas do nomadismo

Muitos líderes de empresas se posicionaram que adotarão o modelo híbrido, ou seja alguns dias da semana o trabalho será no espaço físico da empresa, e outros no local que for melhor para o colaborador. Portanto pesquise se a empresa é adepta ao nomadismo e se seguirá neste formato após a pandemia.

2. Atenção com os horários e o foco

Sim! As empresas adeptas ao nomadismo, normalmente tem horários de trabalho, como qualquer outra. Ao se deslocar e optar por viver, por um período, em cada local: é preciso ter foco e estabelecer os horários corretos para o trabalho e diversão. Já é comprovado o benefício de trabalhar – viajando, pois os profissionais tendem a desenvolver melhor os seus afazeres sabendo a recompensa no final do dia! O explorar um novo lugar!

3. Programa-se financeiramente

É importante ter uma reserva financeira de pelo menos 20% dos seus gastos mensais. Lembre-se: imprevistos acontecem. Ainda mais viajando, e ficando por um período em cada local.

4. Atenção a internet

Sempre, antes de migrar para outra cidade e/ou residência, fique atento(a) a internet que o local oferece. Recorde que a empresa te dá o benefício de trabalhar – viajando, por isso tenha uma internet adequada para cumprir com o seu ofício.

5. Aproveite e estude

Sim! Com esse benefício do não deslocamento ao trabalho, aproveite e estude! Vale um curso de aperfeiçoamento dentro da sua própria área de atuação no trabalho, artes ou idiomas.

Publicidade