24 de fevereiro de 2021 Atualizado 13:59

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Economia

BC: taxa de câmbio anual no Focus será projetada com base na média de dezembro

Por Agência Estado

15 jan 2021 às 19:32 • Última atualização 15 jan 2021 às 21:09

O chefe do Departamento de Estatísticas do Banco Central, Fernando Rocha, esclareceu nesta sexta-feira, em conversa com jornalistas, que a projeção anual de câmbio publicada no Relatório de Mercado Focus passará a ser calculada com base na média para a taxa no mês de dezembro, e não mais no valor projetado para o último dia útil de cada ano. Na tarde desta sexta, o BC anunciou uma série de mudanças na coleta e na divulgação dos dados do Focus.

Atualmente, cerca de 140 instituições financeiras participam do levantamento de dados que gera o relatório todas as semanas. O resultado é sempre divulgado às segundas-feiras, após as 8h25. A nova dinâmica passará a valer na terça-feira, dia 19. Portanto, o relatório do dia 25 já estará no novo formato.

Conforme o BC, hoje as instituições, ao informarem suas projeções anuais para o dólar, levam em conta o valor previsto para a moeda americana no último dia útil de dezembro. A partir do dia 19, o valor informado será o da média do dólar para o mês de dezembro de cada ano. Com isso, o BC espera trazer maior precisão para as projeções cambiais do mercado financeiro. Rocha lembrou que projetar o câmbio no fim de cada ano, como na metodologia atual do Focus, é uma tarefa difícil, em função das variáveis que influenciam as moedas.

Além disso, as projeções de câmbio informadas para cada mês serão feitas com base na média para o período, e não mais para o último dia do mês. Como de costume, a referência para as projeções será a taxa PTAX.

No documento divulgado às segundas-feiras, o BC também deixará de publicar os dados referentes ao Top 5 – o conjunto das cinco instituições que mais acertam projeções. “A ideia é focar no conjunto mais amplo de informações. O Top 5 se manterá na série histórica, inclusive porque, todos os meses, quando há uma mudança do Top 5 do mês, muda o conjunto”, disse Rocha, em referência às mudanças de instituições que fazem parte do Top 5. Na prática, as informações do Top 5 continuarão disponíveis, mas somente nas séries históricas do sistema de Expectativas de Mercado, também atualizadas às segundas-feiras.

Outra novidade é que a coleta do Focus para alguns indicadores, no caso da periodicidade mensal, terá horizontes ampliados. Atualmente, uma instituição que coloca no sistema projeções mensais para o IPCA pode fazer isso para até 18 meses à frente. No novo sistema, isso será possível para 25 meses. Selic e câmbio terão horizonte de 24 meses e o Produto Interno Bruto (PIB) terá horizonte de 8 trimestres.

O BC também deixará de coletar, por meio do Focus, projeções para índices de preços que perderam importância ao longo dos anos: IGP-DI, IPA-DI, IPA-M, INPC, IPCA-15 e IPC-Fipe. No documento das segundas-feiras, continuarão a ser divulgados normalmente o IPCA e o IGP-M anuais.

As instituições financeiras haviam sido informadas sobre as mudanças em 17 de dezembro, quando também passaram a testar o novo sistema.

Publicidade