Segunda etapa do vestibular Unicamp tem roteiro de podcast, machismo e ‘Bacurau’

Exame foi, segundo especialistas, típico do processo seletivo da universidade, com a inclusão de assuntos atuais e várias questões interdisciplinares


Foto: Antonio Scarpinetti / Unicamp
Nesse primeiro dia, cerca de 12,2 mil candidatos fizeram provas de Redação, Língua Portuguesa, Literatura e Inglês

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) realizou neste domingo, 12, as primeiras provas da segunda fase do vestibular para 2020. O exame foi, segundo especialistas, típico do processo seletivo da universidade, com a inclusão de assuntos atuais, como machismo e meio ambiente, e várias questões interdisciplinares. Nesse primeiro dia, cerca de 12,2 mil candidatos fizeram provas de Redação, Língua Portuguesa, Literatura e Inglês.

“Foi uma prova extremamente coerente, não só com os assuntos cobrados dos vestibulandos, mas também com a trajetória de vestibulares da Unicamp”, avalia o coordenador do Curso Poliedro de Campinas, Vitor Ricci. “Também trouxe contexto político, que apareceu numa pergunta sobre o filme ‘Bacurau”.

O longa-metragem, lançado em 2019, foi tema de uma questão sobre figuras de linguagem, que também pediu aos candidatos que considerassem o papel do Estado numa comunidade como a retratada na história.

Na redação, os vestibulandos foram incitados a criar um roteiro de podcast relacionando biodiversidade, sociodiversidade e preservação do patrimônio cultural do Brasil. A segunda opção de redação deveria abordar os “micromachismos” enraizados na sociedade. Os alunos deveriam escolher uma situação de machismo descrita na questão e escrever uma crônica narrando o episódio, com uma reflexão sobre o ocorrido. “Mesmo que o aluno não soubesse como fazer um podcast ou uma crônica, o que importa é seguir os comandos da prova”, diz a professora de Redação do Poliedro Campinas, Gabrielle Cavalin.

A prova trouxe assuntos muito próximos da realidade do estudante, de acordo com análise do diretor pedagógico do Oficina do Estudante, Antunes Rafael. “A prova foi muito feliz na escolhas dos textos e nas propostas de redação oferecidas, que demandam reflexões dos alunos”, afirma.

Questões interdisciplinares também marcaram as provas de linguagens da Unicamp. Mesmo a prova de Inglês exigia conhecimentos gerais das áreas de Biologia e conhecimentos de Geografia e Geopolítica para responder às duas questões, ao abordar a perda de biodiversidade e os atentados de 11 de setembro de 2001.

Neste domingo, o índice de abstenção foi de 10,2%, o menor desde 2017.

Próximas provas

Nesta segunda-feira, 13, os candidatos farão provas comuns, com Matemática e Ciências Humanas e da Natureza. Além delas, os candidatos farão exames específicos de acordo com o curso escolhido.

– Ciências Biológicas/Saúde: Biologia e Química;

– Ciências Exatas/Tecnológicas: Física e Química;

– Ciências Humanas/Artes: Geografia e História, com conteúdos de Filosofia e Sociologia.

Como neste domingo, os portões se abrem ao meio dia e fecham às 13 horas, horário de início do exame. As provas de Habilidades Específicas para os cursos de Arquitetura, Artes Cênicas, Artes Visuais e Dança serão realizadas em Campinas entre os dias 20 e 24 de janeiro. A primeira lista de aprovados será divulgada no dia 10 de fevereiro e a matrícula online deverá ser feita no dia seguinte.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora