26 de fevereiro de 2021 Atualizado 09:22

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cotidiano

Rio garante vacina até dia 16 e busca alternativa para não suspender calendário

Por Agência Estado

12 fev 2021 às 17:19 • Última atualização 12 fev 2021 às 18:15

Um dia após a prefeitura do Rio informar que só poderia garantir a vacinação contra a covid-19 até este sábado, 13, o secretário municipal de Saúde, Daniel Soranz, informou que o calendário seguirá normalmente até pelo menos a próxima terça-feira, 16. Depois disso, a cidade precisará repensar sua estratégia de imunização caso novas doses não cheguem.

“A gente já vacinou todo grupo acima de 90 anos, e até amanhã (sábado) a gente vacina todo mundo do grupo acima de 85 anos. Na segunda-feira a gente vai garantir as doses do grupo de 84 anos, e na terça-feira, que seria feriado, todas as clínicas da família estarão fazendo a segunda dose nos institutos de longa permanência, e também vão vacinar nos postos o grupo de 83 anos”, comentou Soranz nesta sexta.

E explicou: “(Depois disso), há algumas possibilidades para que a gente continue a campanha de vacinação sem alterar o calendário, que é a remessa de novas doses pelo Ministério da Saúde ou uma negociação para a utilização da segunda dose desse lote de 50 mil que a gente recebeu esta semana.”

Na terça-feira passada, o Rio retirou 50 mil vacinas a que tinha direito junto ao governo do Estado. Pela programação inicial, elas deveriam ser utilizadas para aplicação da primeira e da segunda doses, mas o secretário abriu a possibilidade que sejam usadas apenas para a primeira aplicação no próximo grupo prioritário.

“Como estas doses que começaram a ser aplicadas a partir de ontem (quinta) podem ser aplicadas (a segunda dose) no mês de março, se tiver a garantia do Instituto Butantan de que (chegarão mais) na primeira semana de março ou no fim de fevereiro, o governo do Estado e o governo federal podem liberar a todos os municípios do País de utilizarem essas doses de coronavac. É muito importante ter esse sentimento de urgência para vacinar”, afirmou o secretário.

Publicidade