19 de junho de 2024 Atualizado 22:57

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Grupo Liberal Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Cotidiano

Raia que estava ‘grávida virgem’ na verdade sofre de mutação genética rara; entenda

Por Agência Estado

07 de junho de 2024, às 23h21

Uma raia criada em um aquário nos Estados Unidos, que supostamente estava “grávida virgem”, na verdade sofre de uma mutação genética. O animal vive em um tanque sem machos da mesma espécie, apenas com tubarões, o que impossibilita a gestação.

O comunicado sobre a “falsa gravidez” foi divulgado nas redes sociais do Aquarium & Shark Lab Team Ecco, localizado na cidade de Hendersonville, na Carolina do Norte, que publica na internet o cotidiano dos animais residentes do viveiro, inclusive notícias da “gravidez” de Charlotte. Os internautas, que acompanhavam a suposta gravidez na internet, começaram a questionar sobre o nascimento dos filhotes da raia chamada de Charlotte, que recebeu esse o nome dos funcionários do aquário.

De acordo com a empresa, o animal foi submetido a exames e os relatórios mostram que Charlotte desenvolveu uma doença reprodutiva rara, que impactou negativamente seu sistema reprodutivo.

“Lamentamos o atraso nas atualizações sobre Charlotte. Esse tempo foi necessário para coletar dados e analisar resultados laboratoriais e testes. As descobertas são realmente um desenvolvimento médico triste e inesperado”, diz o comunicado.

Os responsáveis pelo animal não divulgaram exatamente qual é a doença que afeta a raia, mas que estão focados em proporcionar saúde e bem-estar para Charlotte. O Shark Lab disse que os laudos foram compartilhados com a equipe que cuida do animal e estão sendo orientados por veterinários e especialistas para entender melhor a doença e opções de tratamento para Charlotte.

“Embora a investigação desta doença seja limitada, esperamos que o caso e o tratamento médico de Charlotte contribuam positivamente para a ciência e beneficiem outras raias no futuro. Agradecemos a incrível manifestação de amor e apoio à Charlotte”, escreveu o aquário nas redes sociais.

Impossibilidade biológica

Apesar da doença rara não ter sido divulgada, especialistas informaram que Charlotte pode sofrer com uma condição policística. Nesse caso, o óvulo se desenvolve no útero do animal sem um embrião fecundado. A interpretação da falsa gestação foi causada por essa condição de alteração hormonal na raia.

Os internautas também levantaram a possibilidade de que a raia teria se reproduzido com um tubarão macho do aquário, mas especialistas apontam que essa alternativa é biologicamente improvável entre as diferentes espécies.

A possibilidade levantada – e descartada – pelo aquário era da chamada partenogênese, quando a reprodução é assexuada, ou seja, um óvulo se desenvolve em um indivíduo sem ser fertilizado por um espermatozoide. Porém, a forma comum de reprodução das raias é através do processo de fertilização interna, o que significa que o esperma do macho fertiliza os óvulos dentro do corpo da fêmea.

“Por favor, respeite Charlotte e sua equipe de atendimento enquanto navegamos por essas notícias inesperadas e trabalhamos para determinar o melhor caminho a seguir. Atualizações serão fornecidas conforme pudermos”, finaliza a publicação do aquário americano.

Publicidade