Procon-SP fiscalizará preços de máscaras e álcool gel

Objetivo é verificar se os estabelecimentos estão cobrando valores abusivos por causa do surto de coronavírus


A Escola de Proteção e Defesa do Consumidor, da Fundação Procon de São Paulo (Procon-SP) fará um levantamento dos preços de máscara de proteção e álcool gel para verificar se os estabelecimentos estão cobrando valores abusivos por causa do surto de coronavírus.

O Procon-SP informou que serão verificados os preços cobrados neste mês por várias marcas dos dois produtos em 15 farmácias que cobrem as cinco regiões da capital paulista e compará-los com os preços vigentes em fevereiro de 2019.

A entidade também vai apurar qual a forma de comercialização da máscara de proteção e do álcool gel e se a quantidade para venda está sendo fracionada para que todos tenham acesso aos produtos. “Caso o levantamento aponte aumento injustificado e abusividade nos preços, as empresas poderão ser multadas”, informou, em nota, o Procon-SP. O resultado da pesquisa deve sair na primeira quinzena de março.

Produto em falta
Diante da demanda pelas máscaras e pelo álcool gel, os produtos já estão em falta em alguns estabelecimentos na capital paulista.

A reportagem da Agência Brasil verificou que, em três farmácias da região leste, já não havia máscaras e álcool gel. A procura no comércio de variedades da cidade, também na zona leste, mostrou falta de álcool gel em alguns pontos.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora