30 de maio de 2024 Atualizado 17:14

Notícias em Americana e região

8 de Agosto de 2019 Atualizado 13:56
MENU

Publicidade

Compartilhe

Tragédia no Sul

Leite pede que governo faça programa emergencial para manutenção empregos e solicita recursos

Governador quer que seja colocada toda a malha aérea emergencial de forma que os municípios não percam atividade turística

Por Agência Estado

15 de maio de 2024, às 15h59 • Última atualização em 15 de maio de 2024, às 18h09

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), pediu que o governo federal faça um programa para a manutenção de empregos nos municípios gaúchos que foram afetados pelas enchentes das últimas semanas. Já na área do turismo, o governador pediu para se colocar toda a malha aérea emergencial de forma que os municípios gaúchos não percam atividade turística.

Governador Eduardo Leite se reuniu com o presidente Lula – Foto: Maurício Tonetto / Secom

“Estamos fazendo esse pedido e confio que será atendido também pelo governo federal, pela sensibilidade que já foi aqui expressa, pelos ministros e presidente da República, de um programa de atendimento emergencial à manutenção do emprego nesses locais afetados”, afirmou Leite, em evento do governo federal de anúncio de medidas de assistência da gestão relacionadas ao Rio Grande do Sul nesta quarta-feira, 15. O evento ocorre em São Leopoldo.

No discurso, o governador falou sobre a suspensão por três anos do pagamento da dívida do Estado. Apesar de o pedido do governo gaúcho não ter sido atendido por completo, Leite reiterou que a negociação foi um “passo” e que vai dar capacidade de investimento ao Estado.

“Mas adiciono e pedimos aqui para colocar no radar do Ministério da Fazenda e do presidente Lula a perda de arrecadação que teremos por conta da atividade econômica que foi impactada”, disse. “Então, se a gente quer transformar toda essa dispensa da dívida em investimento, como queremos e precisamos, possivelmente teremos a necessidade de apoio que foi dado na época da pandemia de recursos que ajudem a compensar perdas arrecadatórias”, completou.

Publicidade