Família acusa PM do Rio de chicotear jovem autista e esquizofrênico

Uma vizinha que testemunhou a ação dos PMs avisou o irmão, que voltou para casa na tentativa de auxiliar o rapaz


Foto: ernando Frazão - Agência Brasil
Policiais teriam usado fios como chicote para atingir as costas da vítima

A família de um rapaz com autismo e esquizofrenia acusa a Polícia Militar do Rio de chicotear o rapaz com fios, durante uma operação policial no complexo de favelas do Chapadão, na zona norte do Rio, no último dia 26.

A vítima morava com a mãe, em outro lugar, mas há cerca de um mês ela morreu e o rapaz foi morar com o irmão na favela. No dia 26, segundo o irmão narrou à polícia, que ele havia saído para trabalhar quando a polícia chegou e tentou ouvir o rapaz, que estava dormindo. Ele foi acordado, mas não conseguiu responder às perguntas dos policiais, por causa dos distúrbios psiquiátricos.

Diante do silêncio, os policiais teriam usado fios como chicote para atingir as costas da vítima. O rapaz, que tem 34 anos, exibe diversas marcas nas costas.

Uma vizinha que testemunhou a ação dos PMs avisou o irmão, que voltou para casa na tentativa de auxiliar o rapaz. Ele chegou a reclamar aos policiais, que, além de agredir o doente, teriam quebrado objetos e bagunçado a casa. Os policiais registraram a reclamação e foram embora.

O irmão procurou o Ministério Público do Estado do Rio (MP-RJ), que acompanha o caso. A Polícia Civil investiga a denúncia, por meio da 31ª DP (Ricardo de Albuquerque).

Em nota, a Polícia Militar afirmou que o caso está sendo investigado pela Corregedoria.

Receosos de serem alvo de uma vingança, os dois irmãos se mudaram do Chapadão. O jovem agredido está em recuperação.

LIBERAL VIRTUAL Acesse agora